Locução verbal

Você sabe o que são locuções verbais? Não? Então vem com a gente revisar este conteúdo de Português para mandar bem no Enem e nos vestibulares!

Todo mundo já teve uma conversa pelo telefone com o telemarketing de uma empresa. Provavelmente você já ouviu: “Aguarde um momento, vou encaminhar sua ligação para o setor indicado.” Ou ainda “Estarei acompanhando sua solicitação.” Esse jeito característico de falar já virou até meme e rendeu vários vídeos de sátira. Essas frases são construídas com o uso de locução verbal.

O que é uma locução verbal?

Como você provavelmente já percebeu, uma locução verbal envolve o uso de dois verbos. Sendo assim, podemos dizer que locução verbal corresponde à união de dois verbos que exercem uma única função morfológica. Para entender melhor, vamos pensar nos exemplos citados acima:

– Aguarde um momento, vou encaminhar sua ligação para o setor indicado.

Estarei acompanhando sua solicitação.

Note que em ambos os exemplos não há como pensar em duas ações separadas para cada verbo destacado. Não pensamos primeiro na ação “estar” e depois “acompanhar” separadamente. Quando ouvimos estes verbos combinados, logo entendemos que as duas ações estão acontecendo ao mesmo tempo e uma depende da outra. Logo, os dois verbos juntos exercem uma única função na oração.

A partir disso, podemos estabelecer que uma locução verbal é constituída pela combinação do verbo auxiliar com mais outro verbo no infinitivo, gerúndio ou particípio. Este último verbo será chamado de principal.

locução verbal

Note que apenas o verbo auxiliar é flexionado na locução verbal. O verbo principal continua na sua forma nominal (gerúndio, particípio ou infinitivo).

Agora, para você mandar bem na interpretação de textos e na redação Enem, vamos estudar aqui as locuções verbais mais usadas em português.

Locuções verbais mais comuns

As locuções verbais mais usadas em português ocorrem da seguinte maneira:

a) Verbos auxiliares ter e haver ligados a um verbo no infinitivo pela preposição de, indicando obrigação ou intenção. Nessas locuções, o verbo principal sempre surge em uma de suas formas nominais. Já as flexões de tempo, modo, número e pessoa ocorrem nos verbos auxiliares. Observe os exemplos:

 Tenho de chegar cedo para estudar para o Enem.

Haveremos de passar no vestibular!

b) Com os verbos auxiliares estar, andar, ir e vir seguidos de um gerúndio, indicando ação contínua. Observe os exemplos:

Estou vivendo na casa da minha tia.

Você anda procurando conteúdo para prova?

Os candidatos iam sumindo aos poucos.

Vêm surgindo novas notícias.

c) Com o verbo ir seguido de um infinitivo, exprimindo a intenção de realizar ações num futuro próximo. Veja:

Vou exigir que ela estude até passar.

Iremos acompanhar o desempenho dos candidatos.

Conjugação dos verbos auxiliares mais utilizados em locuções verbais

Observe, nas tabelas a seguir, a conjugação completa dos verbos auxiliares ter, haver, ser e estar.

Modo indicativo
Presente
TER HAVER SER ESTAR
tenho hei sou estou
tens hás és estás
tem é está
temos havemos somos estamos
tendes haveis sois estais
têm hão são estão
Pretérito imperfeito
TER HAVER SER ESTAR
tinha havia era estava
tinhas havias eras estavas
tinha havia era estava
tínhamos havíamos éramos estávamos
tínheis havíeis éreis estáveis
tinham haviam eram Estavam
Pretérito perfeito
TER HAVER SER ESTAR
tive houve fui estive
tiveste houveste foste estiveste
teve houve foi esteve
tivemos houvemos fomos estivemos
tivestes houvestes fostes estivestes
tiveram houveram foram Estiveram
Pretérito mais-que-perfeito
TER HAVER SER ESTAR
tivera houvera fora estivera
tiveras houveras foras estiveras
tivera houvera fora estivera
tivéramos houvéramos fôramos estivéramos
tivéreis houvéreis fôreis estivéreis
tiveram houveram foram estiveram
Futuro do presente
TER HAVER SER ESTAR
terei haverei serei estarei
terás haverás serás estarás
terá haverá será estará
teremos haveremos seremos estaremos
tereis havereis sereis estareis
terão haverão serão estarão
Futuro do pretérito
TER HAVER SER ESTAR
teria haveria seria estaria
terias haverias serias estarias
teria haveria seria estaria
teríamos haveríamos seríamos estaríamos
teríeis haveríeis seríeis estaríeis
teriam haveriam seriam estariam

 

MODO SUBJUNTIVO
Presente
TER HAVER SER ESTAR
tenha haja seja esteja
tenhas hajas sejas estajas
tenha haja seja esteja
tenhamos hajamos sejamos estejamos
tenhais hajais sejais estejais
tenham hajam sejam estejam
Pretérito imperfeito
TER HAVER SER ESTAR
tivesse houvesse fosse estivesse
tivesses houvesses fosses estivesses
tivesse houvesse fosse estivesse
tivéssemos houvéssemos fôssemos estivéssemos
tivésseis houvésseis fôsseis estivésseis
tivessem houvessem fossem Estivessem
Futuro
TER HAVER SER ESTAR
tiver houver for estiver
tiveres houveres fores estiveres
tiver houver for estiver
tivemos houvermos formos estivermos
tiverdes houverdes fordes estiverdes
tiverem houverem forem estiverem

 

MODO IMPERATIVO
Afirmativo
TER HAVER SER ESTAR
Tem (tu) Há (tu) Sê (tu) Está (tu)
Tenha (você) Haja (você) Seja (você) Esteja (você)
Tenhamos (nós) Hajamos (nós) Sejamos (nós) Estejamos (nós)
Tende (vós) Havei (vós) Sede (vós) Estai (vós)
Tenham (vocês) Hajam (vocês) Sejam (vocês) Estejam (vocês)
Negativo
TER HAVER SER ESTAR
Não tenhas (tu) Há (tu) Sê (tu) Está (tu)
Não tenha (você) Haja (você) Seja (você) Esteja (você)
Tenhamos (nós) Hajamos (nós) Sejamos (nós) Estejamos (nós)
Tende (vós) Havei (vós) Sede (vós) Estai (vós)
Tenham (vocês) Hajam (vocês) Sejam (vocês) Estejam (vocês)
Negativo
TER HAVER SER ESTAR
Não tenhas (tu) Há hajas (tu) Não sejas (tu) Está (tu)
Não tenha (você) Não haja (você) Não seja (você) Esteja (você)
Não tenhamos (nós) Não hajamos (nós) Não sejamos (nós) Não estejamos (nós)
Não tenhais (vós) Não hajais (vós) Não sejais (vós) Não estejais (vós)
Não tenham (vocês) Não hajam (vocês) Não sejam (vocês) Não estejam (vocês)

 

Conseguiu aprender mais sobre locução verbal? Que tal fazer uma revisão com a videoaula do professor Adriano Parciello? 🙂

Exercícios

 Questão 01 – (UnB DF/2011)

1O que torna a tortura atraente é o fato de ela funcionar. O preso não quer falar, apanha e fala. É sobre essa simples constatação que se edifica a complexa justificativa 4da tortura pela funcionalidade. O que há de terrível nela é a sua verdade. O que há de perverso nessa verdade é o sistema lógico que nela se apoia valendo-se da compreensão, em um 7juízo aparentemente neutro, do conflito entre dois mundos: o do torturador e o de sua vítima.

O poder absoluto que o torturador tem de infligir 10sofrimento à sua vítima transforma-se em elemento de controle sobre o seu corpo. No meio da selva amazônica, espancando um caboclo analfabeto que pedia ajuda divina 13para sustar os padecimentos, um torturador resumiria sua onipotência embutida: “Que Deus que nada, porque Deus aqui é nós mesmo”. A mente insubmissa torna-se vítima de 16sua carcaça, que é, a um só tempo, repasto do sofrimento e presa do inimigo. A dor destrói o mundo do torturado, ao mesmo tempo que lhe mostra outro, o do torturador, no qual 19não há sofrimento, mas o poder de criá-lo. Quando a vítima se submete, conclui-se um processo em que a confissão é um aspecto irrelevante. O preso, na sala de suplícios, troca seu 22mundo pelo do torturador.

Elio Gaspari. A ditadura escancarada. São Paulo:

Companhia das Letras, 2002, p. 37-41 (com adaptações).

A partir dessas informações, julgue os itens a seguir.

(     ) Na referência 7, a locução verbal “tem de infligir” corresponde a deve transgredir.

(    ) No período “O preso não quer falar, apanha e fala” (ref. 1), não está estabelecida relação de causa e efeito no nível sintático, mas se depreende tal relação no nível semântico, na ordenação temporal das orações.

(     )  Na referência 13, na fala atribuída ao torturador, foi usada a linguagem coloquial. Esse trecho poderia ser expresso corretamente em linguagem formal: Não há de se evocar Deus, porque, aqui, Deus somos nós mesmos.

(     )  O termo “tortura” designa qualquer ato pelo qual dores ou sofrimentos agudos, físicos ou mentais são infligidos intencionalmente a uma pessoa a fim de que ela ou uma terceira pessoa forneça informações ou faça confissões.

 

Questão 02 – (UFTM MG/2004)

No trecho

…os músculos pressionam os vasos linfáticos…– substituindo o verbo pressionar pela locução verbal fazer pressão conjugada no futuro do pretérito, o resultado é:

a) os músculos fariam pressão nos vasos linfáticos.

b) os músculos faziam pressão nos vasos linfáticos.

c) os músculos fizessem pressão aos vasos linfáticos.

d) os músculos fariam pressão com os vasos linfáticos.

e) os músculos faziam pressão com os vasos linfáticos.

 

1 Gab: ECCC

2 Gab: A

Sobre o(a) autor(a):

Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Andressa da Costa Farias para o Blog do Enem. Andressa é formada em Letras Português e Literatura Brasileira pela Universidade Federal de Santa Maria. E atualmente cursa Doutorado em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina. Colabora eventualmente escrevendo crônicas para o jornal Diário de Santa Maria (RS) das quais posta no blog pessoal: www.andressacf.blogspot.com Facebook: https://www.facebook.com/andressa.dacostafarias