Pré-história – A ascensão do ser humano sobre à natureza

Saiba mais sobre os diferentes períodos do momento histórico conhecido como pré-história – da dominação da natureza à construção de ferramentas. Revise história para o Enem e para os vestibulares e teste seus conhecimentos com nossa lista de exercícios!

Dentro dos estudos de história, os períodos históricos são definidos de acordo com seu recorte temporal. Por exemplo, na divisão tradicional, o período conhecido como História Antiga termina com o fim do Império Romano, no ano de 476 d.C.

Os historiadores e historiadoras consideram o Império Romano uma instituição tão importante para o período, que seu fim deveria significar o início de uma nova fase da história, no caso o início da Idade Média, um momento com diversas características específicas em relação ao período anterior.

No que se refere à Pré-história, o título do período já serve como separação ao que é considerado História e ao que vem antes disto. O limiar para esta divisão é a invenção da escrita cuneiforme pelos Sumérios, por volta de 4000 a.C.

Este tipo de escrita utiliza ferramentas na forma de cunha, uma estaca pontiaguda que perfurava a argila para cavar placas de argila. Esta é uma fase importante para o ser humano, pois aqui ele começa a dominar a natureza e utilizá-la para sua própria comodidade, como, por exemplo, através da agricultura e pecuária.

cunha na pre-historia
placa de argilla pre-historia

Divisões da pré-história: Paleolítico ou Idade da pedra lascada

Tal como os outros períodos da história, a pré-história também possui suas subdivisões. No paleolítico, aproximadamente 10.000 a.C, o ser humano era um caçador-coletor.

Muitas vezes disputavam as cavernas com animais selvagens e, quando consumiam todo o alimento da região, migravam para novas localidades. Alimentavam-se de animais, frutas, raízes e através da pesca, ou seja, através de qualquer fonte de alimento não fixa.

O nome do período se deve por causa das ferramentas produzidas, através de pedras lascadas rudimentares e ossos. A linguagem do período era limitada, primitiva e a principal forma de se comunicar era por meio das pinturas rupestres.

Pinturas em parede feitas com tintas primitivas, mas que duram até hoje. Essas pinturas por vezes eram utilizadas de forma mística, como se as pessoas do período procurassem projetar suas intenções ou desejos, focadas principalmente nas caçadas.

pintura rupestre pre-historia

Mesolítico

Uma grande mudança do período mesolítico, aproximadamente 9000 a.C, é a descoberta do fogo. Essa descoberta possibilitou o cozimento de alimentos, proteção contra animais, iluminação e aquecimento durante o inverno.

Neolítico ou Idade da pedra polida

A maior revolução que ocorreu neste período foi a produção de alimentos no solo, a agricultura, e a criação de animais, a pecuária. Devido a isto, o ser humano já não possuía a necessidade de migrar de região em região à procura de alimento. Poderia plantar e criar sua própria fonte de sustento em um local fixo. Eis, então, que o ser humano deixa de ser nômade, em larga escala, e torna-se um ser sedentário, fixado em uma região mais restrita.

Tendo em vista que a busca por alimento agora era uma preocupação menor, o ser humano, então sedentário, procurou desenvolver outras capacidades. A metalurgia, ou seja, a manipulação de metais, passou a ser algo importante na pré-história.

As ferramentas (lanças, machados e etc) agora se tornam de metal, o que otimiza a caça e agricultura. Com a grande produção de alimento e o crescimento das comunidades, sentiu-se a necessidade de movimentar os excedentes.

Ou seja, um protótipo de comércio começou a surgir, o escambo. O que sobrava em uma comunidade comumente era trocado pelo que sobrou na outra, preenchendo, assim, as lacunas produtivas de cada grupo.

ferramentas na pre-historia

Periodicidade clássica e perspectiva

Por fim, embora as denominações nos levem ao contrário, o período da pré-história compõe sim momentos importantes do desenvolvimento do ser humano no tempo e espaço. Entender a pré-história como um período fora da história é desconsiderar toda a experiência destes seres, assim como os impactos de suas descobertas em nossas vidas.

O que marca o fim do período pré-histórico, como já dito, é a invenção da escrita. Compreende-se que no momento em que o ser humano desenvolveu uma maneira eficiente de registrar os acontecimentos, ele passou a fazer história de fato. No entanto, como também visto, existem outras formas de se comunicar através dos milênios. As pinturas rupestres são maneiras mais diretas e espontâneas destas formas de comunicação, entretanto a arqueologia também utiliza de diversos outros vestígios involuntários. As ferramentas já citadas, os esqueletos, esculturas de cunho religioso entre diversas outras produções feitas, ou não, para durarem ou comunicarem algo de forma deliberada.

representacao de luzia na pre-historia
Figura 5: Fóssil e representação do que seria o rosto de Luzia, o esqueleto mais antigo encontrado nas américas. Retirado de: https://goo.gl/9CgwMs Marcadores: Luzia, Fóssil, Arqueologia.

Para finalizar sua revisão sobre a Pré-hitória, Complemente seu conhecimento através do canal Se Liga Nessa História:

Exercícios sobre pré-história:

.

Sobre o(a) autor(a):

Guilherme Silva é formado em História pela Universidade Federal de Santa Catarina. Dá aulas de História em escolas da Grande Florianópolis desde 2016.