Características e obras da Arte Neoclássica

A Arte Neoclássica surgiu no século XVIII inspirada pelas obras de arte da Antiguidade Grega e Romana. Conheça seus principais artistas, obras e características!

A arte Neoclássica foi um difundido movimento das artes visuais com temas clássicos e linhas muito bem definidas. Ela surgiu em um momento histórico muito importante: a Revolução Francesa. Com forte influência da arte greco-romana, a representação artística da época era também politizada.

Nesta aula entenderemos as principais características do Neoclassicismo e sua ligação com a Revolução Francesa e com o Iluminismo.

Contexto do surgimento da Arte Neoclássica

Na França do século XVIII, ocorreu um ciclo de revoluções com grandes proporções que desencadearam uma mudança profunda na construção social, cultural e política não apenas no país, mas no mundo inteiro. A representação artística acompanhou todo esse movimento.

Publicidade

Em termos de arte Ocidental, o Neoclassicismo foi o estilo mais difundido desde o final do século XVIII até, aproximadamente, 1830. O nome da vertente nos lembra os gregos e romanos, que buscavam os ideais da simetria e da perfeição. Nesse caso, o grande impulso inicial não veio dos artistas, como ocorre de uma forma geral, e sim dos pensadores da época. Esses filósofos eram os grandes defensores do Iluminismo na França.

Os nomes que vieram à frente no movimento são Denis Diderot e Voltaire. Ambos sustentavam um embate contra a suposta falta de moral do estilo Rococó. Para recordarmos, o Rococó pregava a leveza e uma produção artística que fizesse com que as pessoas esquecessem da realidade. Em contraposição, Diderot e Voltaire defendiam uma arte racional, intelectualizada e moral. Para eles, o caminho seria o resgate do mundo clássico dos gregos e romanos.

Na cidade de Roma, um estudioso alemão chamado Johann Winckelmann escreveu o principal referencial básico teórico sobre este esperado renascimento. Em seus escritos, o erudito defendia que a arte grega possuía uma superioridade marcante e indiscutível. Por isso, incentivava os pintores a utilizarem seus pincéis com intelectualidade e inteligência.

Um afresco executado por Anton Mengs (1728-1779) em um teto de Villa Albani, embora pareça simples ao nosso olhar contemporâneo, foi um marco na divulgação dos ideais neoclassicistas:

Afresco de Anton MengsAfresco de Anton Mengs, no teto de Villa Albani.

Entretanto, o grande representante do movimento foi o pintor Jacques-Louis David (1748-1825). Sua produção artística foi uma verdadeira e heroica aliança com a Revolução Francesa.

Jacques-Louis David

Os neoclassicistas bebiam da fonte de narrativas históricas e literárias. Para artistas e intelectuais da época, era importante se contrapor à visão Rococó, que tinha como temáticas fantasias eróticas envolvendo deusas nuas, por exemplo. Assim, em uma época tão intelectualizada, a beleza coquete e a sensualidade não eram tidas como uma prioridade.

As pinturas de David, em oposição ao Rococó, continham personagens heroicos da história da Grécia e de Roma. As criações do artista davam ênfase à coragem de homens como Sócrates e os Horácios, como veremos na obra a seguir:

O juramento dos horácios - arte neoclássica“O juramento dos Horácios”, Jacques-Louis David, 1784.

A pintura é considerada a primeira obra-prima da escola neoclassicista. Retrata os irmãos Horácios em um juramento: o de derrotar seus rivais, a família Curiácios. A forma como David estruturou e posicionou as figuras na obra é muito interessante e marcante, de forma a enfatizar as posições geometrizadas dos irmãos e, ao fundo, a arquitetura romana. A perspectiva, embora representada de maneira simplificada, também é um ponto importante a ser observado.

David era visto pelo público com bons olhos. Foi considerado o “artista oficial” do governo revolucionário e desenhou figurinos e cenários para propagandas. A população acreditava estar vivendo em tempos heroicos, considerando os acontecimentos de sua época tão marcantes e dignos da atenção do pintor quanto as representações das histórias gregas e romanas.

Jean-Paul Marat

Um dos grandes líderes da Revolução Francesa foi Jean-Paul Marat (1743-1793) que, em 1780, lançou um Plano de Legislação Criminal, que foi considerado subversivo pelo governo. Assim, Marat foi assassinado na banheira de sua casa por uma militante da oposição. Na ocasião, David pintou-o como um verdadeiro mártir:

A morte de Marat - Arte Neoclássica“A morte de Marat”, Jacques-Louis David, 1793.

Marat passava horas na banheira onde foi morto, pois sofria de uma doença inflamatória e a água aliviava sua dor. Assim, adaptou um tampo como uma escrivaninha e lá ficava. A assassina de Marat havia lhe entregado uma petição a qual ele iria assinar, mas foi golpeado e morto antes. Embora as circunstâncias não fossem favoráveis a uma bela obra de arte, David transmitiu uma atmosfera heroica, de dignidade e grandeza.

Características da obra de Jacques-Louis David

A partir de seus estudos da escultura greco-romana, David conseguiu atribuir uma riqueza de detalhes de músculos e tendões da anatomia humana, conferindo uma aparência de nobre beleza. Também com a arte clássica, o artista aprendeu a eliminar quaisquer detalhes que não fossem considerados essenciais para a ideia central. As cores não são matizadas, de forma a não se tornarem evidenciadas.

As obras do artista, de um modo geral, transmitem tristeza e austeridade. O motivo é o reflexo da atmosfera de revolta que a França vinha enfrentando. Entretanto, quando ocorreu a ascensão de Napoleão, a essência da arte neoclássica mudou. Os artistas focaram-se no esplendor do Império Romano, substituindo o caráter moral das pinturas anteriores, que refletiam a insatisfação de toda uma nação.

Outros artistas do Neoclássico

Foi na pintura que a tradição do neoclassicismo perdurou: os pupilos de David, como Antoine-Jean Gros (1771-1835) e Jean-Auguste Dominique Ingres (1780-1867) seguiram os passos de seu antecessor. A obra a seguir é um bom exemplo:

Napoleão I no trono imperial“Napoleão I no trono imperial”, Jean-Auguste-Dominique Ingres, 1806.

A pintura de Ingres, com desenhos exagerados e acabamentos suaves, é uma clara referência à influência exercida por David.

O neoclássico, porém, não se detinha apenas na pintura. No campo da escultura, artistas como Bertel Thorvaldsen (1770-1844) e John Flaxman (1755-1822) produziram obras significativas. Este último era admirado por esculturas comedidas.

O estilo artístico que tinha ideais fortemente vinculados à estética grega e romana teve sua importância para além da arte, já que documentou diversos fatos históricos que nos permitem compreender com mais clareza a forma como os acontecimentos se desenrolaram e ocorreram.

Para saber mais sobre a Arte Neoclássica, confira o vídeo do canal Espalhando Arte, com Christiane Pinheiro

Exercícios sobre Arte Neoclássica

1- (UNESP)

Analise a tela Marat assassinado, pintada por Jacques-Louis David em 1793.

A morte de Marat - Arte Neoclássica

Essa pintura apresenta estilo

a) gótico, expresso no confronto entre claro e escuro, e representa uma importante passagem bíblica.

b) barroco, expresso no contraste entre os objetos retratados, e valoriza a importância da leitura e da escrita.

c) romântico, expresso no conteúdo religioso da cena, e representa o predomínio da emoção sobre a razão.

d) neoclássico, expresso na modelação da musculatura do corpo, e representa um episódio político da época.

e) moderno, expresso na imprecisão das formas e dos contornos do desenho, e representa o cotidiano do homem da época.

2- (UNICANTO)

O neoclassicismo foi um movimento artístico, surgido na Europa por volta de 1750, durando até meados do século XIX.

Este movimento teve como objetivo principal resgatar os valores estéticos e culturais das civilizações da Antiguidade Clássica (Grécia e Roma). A arte neoclássica era:

a) Voltada para a religião.

b) Voltada para a população de classe baixa.

c) Uma arte acadêmica.

d) Uma arte que buscava a fuga das regras.

e) Uma maneira de enxergar o mundo.

3- (ENEM MEC/2016)

Napoleão cruzando os AlpesDAVID, J. L-. Napoleão cruzando os Alpes. Óleo sobre tela. 271 cm x 232 cm. Museu de Versalhes, Paris, 1801.

A pintura Napoleão cruzando os Alpes, do artista francês Jacques Louis-David, produzida em 1801, contempla as características de um estilo que

a) utiliza técnicas e suportes artísticos inovadores.

b) reflete a percepção da população sobre a realidade.

c) caricaturiza episódios marcantes da história europeia.

d) idealiza eventos históricos pela ótica de grupos dominantes.

e) compõe obras com base na visão crítica de artistas consagrados.

Gabarito:

  1. D
  2. C
  3. D

Sobre o(a) autor(a):

Renata Gambagorte é formada em Licenciatura em Artes Visuais pela Universidade Estadual do Paraná com pós graduação em Cenografia pela Universidade Federal do Paraná. Atualmente atua na rede de ensino em Curitiba. Facebook: https://www.facebook.com/renatagmbgrt

Compartilhe: