Classificação dos numerais

Os numerais podem indicar a quantidade e a ordem de seres e objetos. Nesta aula você vai revisar os diferentes numerais da língua portuguesa para mandar bem no Enem.

O numeral integra a classificação e a categoria de uma classe gramatical. É a palavra que indica a quantidade, a ordem e a sequência dos seres e objetos. A classificação dos numerais se divide em cardinais (indicando a quantidade), ordinais (indicando a ordem), fracionários (indicando a quantidade em fração), multiplicativos (indicando a quantidade em múltiplos) e coletivos (indicando o grupo ou conjunto de algo).

Veja alguns exemplos de numerais:

Ele conseguiu quatro matérias no cursinho pré-vestibular. (numeral cardinal)

Publicidade

A candidata conseguiu se classificar em primeiro. (numeral ordinal)

Ela estudou o dobro do tempo para o concurso. (numeral multiplicativo)

Era uma multidão para o concurso público. (numeral coletivo)

Somente um terço dos vestibulandos conseguiu aprovação. (numeral fracionário)

classificação dos numerais

Fique atento(a): Somente podemos classificar como numerais as expressões em palavras que indicam números em relação aos seres e objetos. Quando as expressões são apresentadas em números não podemos classificar como numerais e sim como algarismo. Entendeu? Veja então alguns exemplos:

Ela comprou 45 canetas para fazer o resumo do concurso. (algarismo)

Apenas 1/5 dos professores concordou com a prova aplicada. (algarismo)

Além dos numerais, há outras expressões que indicam quantidade, proporção ou ordem.

Veja alguns exemplos:

Faz mais de uma década que ele passou no concurso público federal.

Somente meia dúzia de alunos chegaram a tempo de fazer a prova.

Ele perdeu seu par de meia.

A idosa era muito religiosa, rezava uma novena sempre.

Classificação dos numerais

As classificações dos numerais são cinco: cardinais, ordinais, fracionários, multiplicativos e coletivos.

Numerais cardinais

são aqueles que indicam contagem, medida. É o número básico. Exemplo: Somente uma pessoa compareceu na prova.

Numerais ordinais

São aqueles que indicam a ordem ou lugar do ser numa série dada. Exemplo: Ficou em segundo lugar na classificação geral.

Para designar papas, reis, imperadores, séculos e partes em que se divide uma obra, utilizam-se os ordinais até décimo e a partir daí os cardinais, desde que o numeral venha depois do substantivo. Veja os exemplos:

João Paulo II (segundo)
D. Pedro II (segundo)
Século VIII (oitavo)
Canto IX (nono)
Tomo XV (quinze)
Luís XVI (dezesseis)
Capítulo XX (vinte)

E, para designar leis, decretos e portarias, utiliza-se o ordinal até nono e o cardinal de dez em diante:

Artigo 1.° (primeiro)

Artigo 9.° (nono)

Artigo 10 (dez)

Artigo 21 (vinte e um)

Numerais fracionários

São aqueles que indicam parte de um inteiro, ou seja, a divisão dos seres. Exemplo: Somente um quarto dos candidatos lembrou o dia da prova.

Fique atento(a): Os numerais fracionários flexionam-se em gênero e número. Veja os exemplos:

Um terço da prova foi resolvida.

Dois terços da prova foram resolvidos.

Numerais multiplicativos

São aqueles que expressam ideia de multiplicação dos seres e objetos indicando quantas vezes a quantidade foi aumentada. Exemplo: Eles estudaram o dobro do tempo para passar na prova.

Observe que os numerais multiplicativos são invariáveis quando atuam em função substantiva. Exemplo: Os cursistas fizeram o dobro de exercícios e conseguiram o triplo de aprovação!

Observe também que os numerais multiplicativos são variáveis quando atuam em funções adjetivas flexionando-se em gênero e número. Exemplo: Os vestibulandos devem receber doses triplas de material de estudo.

Numerais coletivos

São aqueles que se referem ao conjunto de algo, indicando o número exato de seres que compõem esse conjunto. Exemplo: Centenas de pessoas se reuniram para escutar o resultado do vestibular.

Atenção: Os numerais coletivos flexionam-se em número. Observe os exemplos:

Uma dúzia de questões foi resolvida.
Duas dúzias de questões foram resolvidas.

É comum na linguagem coloquial a indicação de grau nos numerais, traduzindo afetividade ou especialização de sentido. É o que ocorre em frases como:

A escrita dela é de primeiríssima qualidade em qualquer momento!

Me empresta vintenzinho aí!

Aquele “timeco” entrou para segundona (segunda divisão de futebol)

Como se escrevem os numerais

Para escrever corretamente os números deve-se separar os números em centenas (de trás para frente para obter os conjuntos numéricos) e, no fim, as dezenas ou unidades. Entre esses conjuntos usa-se vírgula; as unidades ligam-se pela conjunção e. Veja os exemplos:

1.305.733 = um milhão, trezentos e cinco mil, setecentos e trinta e três.

66.480 = sessenta e seis mil, quatrocentos e oitenta.

Flexão dos numerais

Como você viu ao longo dessa aula, os numerais podem sofrer flexões. Observe que os numerais cardinais que variam em gênero são um/uma, dois/duas, assim como os que indicam centenas de duzentos/duzentas em diante: trezentos/trezentas; quatrocentos/quatrocentas etc.

Cardinais como milhão, bilhão, trilhão, etc. variam em número: milhões, bilhões, trilhões, etc. Os demais cardinais são invariáveis.

Os numerais ordinais variam em gênero e número:

primeiro segundo milésimo
primeira segunda milésima
primeiros segundos milésimos
primeiras segundas milésimas

Atenção: As palavras “ambos” e “ambas” são consideradas numerais. Elas significam “um e outro”, “os dois” (ou “uma e outra”, “as duas”) e são largamente empregadas para retomar pares de seres aos quais já se fez referência. Veja o exemplo: Ana e Beatriz perceberam a importância da solidariedade feminina. Ambas participam e divulgam os propósitos da sororidade.

Procure não usar “ambos os dois”, pois é considerada uma expressão enfática e seu uso indica artificialismo ou afetação.

Videoaula

Para continuar os estudos sobre a classificação dos numerais, assista a videoaula do professor Noslen sobre artigos e numerais:

Exercícios sobre classificação dos numerais

.

Sobre o(a) autor(a):

Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Andressa da Costa Farias para o Blog do Enem. Andressa é formada em Letras Português e Literatura Brasileira pela Universidade Federal de Santa Maria. E atualmente cursa Doutorado em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina. Colabora eventualmente escrevendo crônicas para o jornal Diário de Santa Maria (RS) das quais posta no blog pessoal: www.andressacf.blogspot.com Facebook: https://www.facebook.com/andressa.dacostafarias

Compartilhe: