Classificação dos numerais

Os numerais podem indicar a quantidade e a ordem de seres e objetos. Nesta aula você vai revisar os diferentes numerais da língua portuguesa para mandar bem no Enem.

O numeral integra a classificação e a categoria de uma classe gramatical. É a palavra que indica a quantidade, a ordem e a sequência dos seres e objetos. A classificação dos numerais se divide em cardinais (indicando a quantidade), ordinais (indicando a ordem), fracionários (indicando a quantidade em fração), multiplicativos (indicando a quantidade em múltiplos) e coletivos (indicando o grupo ou conjunto de algo).

Veja alguns exemplos de numerais:

Ele conseguiu quatro matérias no cursinho pré-vestibular. (numeral cardinal)

A candidata conseguiu se classificar em primeiro. (numeral ordinal)

Ela estudou o dobro do tempo para o concurso. (numeral multiplicativo)

Era uma multidão para o concurso público. (numeral coletivo)

Somente um terço dos vestibulandos conseguiu aprovação. (numeral fracionário)

classificação dos numerais
Figura 1: Na imagem vemos quatro fatias de maçã verde com o mesmo tamanho enfileiradas. Na sequência, um sinal de igualdade e após ele, uma maçã inteira.

 

Fique atento(a): Somente podemos classificar como numerais as expressões em palavras que indicam números em relação aos seres e objetos. Quando as expressões são apresentadas em números não podemos classificar como numerais e sim como algarismo. Entendeu? Veja então alguns exemplos:

Ela comprou 45 canetas para fazer o resumo do concurso. (algarismo)

Apenas 1/5 dos professores concordou com a prova aplicada. (algarismo)

Além dos numerais, há outras expressões que indicam quantidade, proporção ou ordem.

Veja alguns exemplos:

Faz mais de uma década que ele passou no concurso público federal.

Somente meia dúzia de alunos chegaram a tempo de fazer a prova.

Ele perdeu seu par de meia.

A idosa era muito religiosa, rezava uma novena sempre.

Classificação dos numerais

As classificações dos numerais são cinco: cardinais, ordinais, fracionários, multiplicativos e coletivos.

a) Numerais cardinais: são aqueles que indicam contagem, medida. É o número básico. Exemplo: Somente uma pessoa compareceu na prova.

b) Numerais ordinais: são aqueles que indicam a ordem ou lugar do ser numa série dada. Exemplo: Ficou em segundo lugar na classificação geral.

Para designar papas, reis, imperadores, séculos e partes em que se divide uma obra, utilizam-se os ordinais até décimo e a partir daí os cardinais, desde que o numeral venha depois do substantivo. Veja os exemplos:

João Paulo II (segundo)
D. Pedro II (segundo)
Século VIII (oitavo)
Canto IX (nono)
Tomo XV (quinze)
Luís XVI (dezesseis)
Capítulo XX (vinte)

E, para designar leis, decretos e portarias, utiliza-se o ordinal até nono e o cardinal de dez em diante:

Artigo 1.° (primeiro)

Artigo 9.° (nono)

Artigo 10 (dez)

Artigo 21 (vinte e um)

c) Numerais fracionários: são aqueles que indicam parte de um inteiro, ou seja, a divisão dos seres. Exemplo: Somente um quarto dos candidatos lembrou o dia da prova.

Fique atento(a): Os numerais fracionários flexionam-se em gênero e número. Veja os exemplos:

Um terço da prova foi resolvida.

Dois terços da prova foram resolvidos.

d) Numerais Multiplicativos: são aqueles que expressam ideia de multiplicação dos seres e objetos indicando quantas vezes a quantidade foi aumentada. Exemplo: Eles estudaram o dobro do tempo para passar na prova.

Observe que os numerais multiplicativos são invariáveis quando atuam em função substantiva. Exemplo: Os cursistas fizeram o dobro de exercícios e conseguiram o triplo de aprovação!

Observe também que os numerais multiplicativos são variáveis quando atuam em funções adjetivas flexionando-se em gênero e número. Exemplo: Os vestibulandos devem receber doses triplas de material de estudo.

e) Numerais coletivos: são aqueles que se referem ao conjunto de algo, indicando o número exato de seres que compõem esse conjunto. Exemplo: Centenas de pessoas se reuniram para escutar o resultado do vestibular.

Atenção: Os numerais coletivos flexionam-se em número. Observe os exemplos:

Uma dúzia de questões foi resolvida.
Duas dúzias de questões foram resolvidas.

É comum na linguagem coloquial a indicação de grau nos numerais, traduzindo afetividade ou especialização de sentido. É o que ocorre em frases como:

A escrita dela é de primeiríssima qualidade em qualquer momento!

Me empresta vintenzinho aí!

Aquele “timeco” entrou para segundona (segunda divisão de futebol)

Como se escrevem os numerais

Para escrever corretamente os números deve-se separar os números em centenas (de trás para frente para obter os conjuntos numéricos) e, no fim, as dezenas ou unidades. Entre esses conjuntos usa-se vírgula; as unidades ligam-se pela conjunção e. Veja os exemplos:

1.305.733 = um milhão, trezentos e cinco mil, setecentos e trinta e três.

66.480 = sessenta e seis mil, quatrocentos e oitenta.

Flexão dos numerais

Como você viu ao longo dessa aula, os numerais podem sofrer flexões. Observe que os numerais cardinais que variam em gênero são um/uma, dois/duas, assim como os que indicam centenas de duzentos/duzentas em diante: trezentos/trezentas; quatrocentos/quatrocentas etc.

Cardinais como milhão, bilhão, trilhão, etc. variam em número: milhões, bilhões, trilhões, etc. Os demais cardinais são invariáveis.

Os numerais ordinais variam em gênero e número:

primeiro segundo milésimo
primeira segunda milésima
primeiros segundos milésimos
primeiras segundas milésimas

Atenção: As palavras “ambos” e “ambas” são consideradas numerais. Elas significam “um e outro”, “os dois” (ou “uma e outra”, “as duas”) e são largamente empregadas para retomar pares de seres aos quais já se fez referência. Veja o exemplo: Ana e Beatriz perceberam a importância da solidariedade feminina. Ambas participam e divulgam os propósitos da sororidade.

Procure não usar “ambos os dois”, pois é considerada uma expressão enfática e seu uso indica artificialismo ou afetação.

Para continuar os estudos sobre a classificação dos numerais, assista a videoaula do professor Noslen sobre artigos e numerais:

Exercícios

Questão 01 – (UFAL/2014)

O romano da gravura parece estar em dúvida do valor do numeral romano MCDV cuja transcrição para o numeral cardinal é:

a) mil quatrocentos e cinco.

b) mil quinhentos e cinquenta.

c) mil quinhentos e cinco.

d)mil quatrocentos e cinquenta.

e) mil cento e cinquenta.

Questão 02 – (UEMS/2008)

Bondades e obrigações

“Me perdoem, mas detestei: baixaram um pacote de benefícios para aposentados, parte de um programa maior que chamaram de… “pacote das bondades”.

Primeiro, não pude acreditar. Quem teria batizado a pobre criança sob tão lamentável inspiração? Mas era verdade. Eu me espantei com esse nome de mau gosto, quase um insulto.

Um governo não age por “bondade”: tem obrigação de desempenhar otimamente seu papel de cuidar, administrar, proporcionar dignidade e oportunidades aos cidadãos, do mais simples ao mais privilegiado. São eles que lhe pagam salário e outras benesses.

É dever de todo governo liberar de impostos os medicamentos, mais onerados do que automóveis. É seu dever investir na manutenção e melhoria de escolas e universidades e cuidar para que seu nível seja elevadíssimo; é seu dever eliminar as filas humilhantes ou assassinas do INSS; é seu dever combater de verdade o narcotráfico; é seu dever promover a paz nas cidades e no campo, assegurando aos que ali vivem e trabalham o necessário apoio para que se sintam dignos e protegidos.

É altíssimo dever de quem conseguiu qualquer posto num governo, sabendo que seria onerado com sérios compromissos, fazer de seu grupo de trabalho, de seus colaboradores, exemplos de dignidade e honradez, estimulando a punição dos transgressores.

Se algum nome devesse ter o tal pacote, haveria de ser: “cumprimento das graves obrigações do governo”.

Lya Luft. Veja, 19/04/2006, p. 22

Primeiro, não pude acreditar. Quem teria batizado a pobre criança sob tão lamentável inspiração? Mas era verdade. Eu me espantei com esse nome de mau gosto, quase um insulto.”

As palavras em negrito, no parágrafo acima, classificam–se do ponto de vista morfológico, respectivamente, como:

a) numeral ordinal – pronome interrogativo – adjetivo – preposição essencial – adjetivo

b) numeral cardinal – pronome possessivo – substantivo – preposição acidental – advérbio

c) pronome demonstrativo – advérbio – substantivo – conjunção coordenativa – adjetivo

d) advérbio de tempo – pronome pessoal – substantivo – advérbio de lugar – substantivo

e) substantivo – pronome indefinido – substantivo – preposição acidental – advérbio

 

 Gab 01: A

Gab 02: A

Sobre o(a) autor(a):

Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Andressa da Costa Farias para o Blog do Enem. Andressa é formada em Letras Português e Literatura Brasileira pela Universidade Federal de Santa Maria. E atualmente cursa Doutorado em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina. Colabora eventualmente escrevendo crônicas para o jornal Diário de Santa Maria (RS) das quais posta no blog pessoal: www.andressacf.blogspot.com Facebook: https://www.facebook.com/andressa.dacostafarias