Doenças virais

Além da Aids e das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, existem várias outras doenças virais que acometem os seres humanos. Você conhece as principais doenças virais e sua prevenção?

Os vírus são parasitas intracelulares obrigatórios. Sendo assim, todos, sem exceção, são parasitas. Dessa maneira, existem vírus causando doenças virais em todos os seres vivos, de bactérias a seres humanos. Os vírus, inclusive se configuram como um dos principais carrascos da humanidade ao longo da história e um dos poucos controles populacionais que ainda nos restam.

Grandes epidemias, como a gripe espanhola, que matou cerca de 20 milhões de pessoas, causam grande desespero na população. Varíola é outro exemplo de doença viral que dizimou milhões de seres humanos. Sem falar na última doença viral assustadora, o ebola, que assombrou o continente africano e o mundo, matando milhares de pessoas entre 2013 e 2015.

Só por esse nosso início de conversa já deu para você ter uma ideia do quão importante é o conhecimento sobre os vírus, certo? Além de serem extremamente importantes na sua vida e nas políticas de saúde de todos os governos do mundo, as doenças virais são também importantes para o Enem e para os vestibulares. Vamos revisar?

Doenças virais

Existem inúmeras doenças virais que assolam os seres humanos. Aqui no Curso Enem Gratuito há aulas imperdíveis sobre a Aids e as doenças virais transmitidas para o Aedes aegypti. Nesta aula abordaremos outras doenças virais, especialmente aquelas típicas da infância, como a catapora e a caxumba.

Mas, antes de estudarmos as doenças virais, é importante sabermos o significado de alguns termos relacionados às doenças causadas por parasitas. Vamos lá?

Epidemia: São consideradas como epidemias as doenças que surgem de maneira repentina e se espalham rapidamente entre parte de uma determinada população. Essa transmissão ocorre de maneira muito rápida e atinge grande número de pessoas em um curto espaço de tempo.

doenças virais medo
Imagem 1: Agente de saúde completamente coberto de roupas de proteção pulverizando com solução antisséptica corpo de homem estendido no chão enquanto várias pessoas observam de longe. Esta imagem foi capturada durante a epidemia de ebola no continente africano.

Endemia: São consideradas endemias as doenças que afetam grande quantidade de pessoas em uma determinada região. Esse contágio tem que ser persistente ou cíclico para ser considero como uma endemia. Como exemplo podemos citar a malária (uma doença causada por um protozoário) na região Amazônica e em alguns países da África.

malária no Brasil
Imagem 2: Mapa do Brasil demonstrando as regiões do país onde há a incidência de malária. As manchas verdes indicam que a incidência de malária se concentra na região Norte do país, onde temos a região amazônica.

Pandemia: São consideradas pandemias as doenças que atingem boa parte do planeta em determinado espaço de tempo. Como exemplos de pandemias podemos citar a gripe espanhola e a Aids.

gripe espanhola doenças virais
Imagem 3: Hospital de campanha nos Estados Unidos em 1918 lotado com pessoas com gripe espanhola.
Principais doenças virais

Poliomielite:

A poliomielite é uma doença viral causada pelo vírus poliovírus, que habita o intestino humano. O poliovírus causa, na grande maioria dos casos, sintomas bastante inespecíficos que podem ser confundidos com uma gripe, como febre e dores pelo corpo. Sendo assim, geralmente a poliomielite se desenvolve e é combatida sem maiores danos ao organismo.

Porém, em cerca de 1% dos casos o poliovírus pode atingir o sistema nervoso. Nesses casos, o vírus danifica os nervos motores, podendo causar a paralisia dos membros e atrofias musculares. Como na maior parte das vezes os sintomas mais graves se desenvolvem em crianças, a doença é também chamada de paralisia infantil.

– Transmissão: A paralisia infantil é transmitida via fecal-oral. Ou seja, as pessoas doentes liberam vírus nas fezes. Essas fezes contaminam a água e o solo. Dessa maneira, pessoas que vivem em regiões sem saneamento básico podem ingerir os vírus através de água e alimentos contaminados.

– Prevenção: Uma das melhores formas de prevenir doenças que têm transmissão via fecal-oral são melhorias na condição de saneamento básico e de higiene alimentar.

Além disso, existem dois tipos de vacinas contra a poliomielite: a Sabin a Salk. A vacina Sabin é a vacina popularmente conhecida como “vacina do Zé-Gotinha”. É uma vacina feita com vírus enfraquecidos tomados via oral.

campanha de vacinação
Imagem 4: Desenho representando a família do Zé Gotinha utilizado na campanha de vacinação.

No Brasil essa vacina foi largamente utilizada e foi responsável pela erradicação da poliomielite em território brasileiro (desde 1994). Porém, há alguns anos o SUS tem substituído a Sabin pela Salk. A Salk é uma vacina mais segura, uma vez que é feita com vírus inativados (“mortos”) e é administrada através de injeções.

Sarampo:

O sarampo é uma doença extremamente contagiosa. O vírus do sarampo causa muita tosse, febre bastante alta e um sintoma muito marcante: manchas vermelhas por todo o corpo.

sarampo doenças virais
Imagem 5: Fotografia de pessoa deitada de costas com grande quantidade manchas vermelhas espalhadas pelo corpo, um dos principais sintomas do sarampo.

Em geral, o sarampo se desenvolve benignamente, sendo vencido pelo próprio organismo que o elimina entre duas e três semanas após a infecção. Porém, pode ser extremamente grave em crianças pequenas e/ou mal nutridas. Além disso, como o vírus atravessa a barreira placentária, pode afetar o desenvolvimento fetal causando más-formações.

Transmissão: O sarampo é transmitido de maneira semelhante à gripe. Gotículas de saliva expelidas pelo doente possuem grande quantidade de vírus, podendo ser aspiradas junto com o ar. Além disso, como dito acima, o vírus do sarampo atravessa a barreira transplacentária, podendo afetar o bebê durante a gestação.

Prevenção: O sarampo pode ser prevenido através de vacina fornecida pelo SUS. A vacina contra o sarampo é chamada de tríplice viral, pois também previne contra rubéola e caxumba.

Rubéola

A rubéola causa dores de cabeça, febre, e manchas rosadas pelo corpo. É também considerada uma doença benigna, pois em geral é expulsa do organismo poucos dias após o contágio.

rubéola
Imagem 6: Fotografia mostrando a parte superior do corpo de uma pessoa com muitas manchas vermelhas. As manchas da rubéola são ligeiramente diferentes das do sarampo. Enquanto no sarampo elas produzem relevo na pele, as manchas da rubéola não.

Porém, pode ser bastante grave quando atinge fetos durante a gestação. Assim como o sarampo, atinge a barreira transplacentária afetando o desenvolvimento fetal e causando más-formações, como surdez e cegueira.

Transmissão: Através de gotículas de saliva contaminadas expelidas pelo doente.

Prevenção: Através da vacina tríplice viral durante a infância ou campanhas dirigidas a mulheres em idade reprodutiva.

Caxumba

A caxumba é causada por um vírus que atinge principalmente as glândulas salivares parótidas. Por tal motivo, a caxumba é também chamada de parótide.

A infecção causada pelo vírus faz com que as glândulas parótidas fiquem inchadas. Como essas glândulas se localizam em frente às orelhas, o pescoço acaba ficando bastante inchado, causando o sintoma mais característico da doença.

caxumba doença viral
Imagem 7: Fotografia de criança com caxumba. O lado direito do rosto está bastante inchado, demonstrando um dos principais sintomas da caxumba.

A caxumba, em geral, se desenvolve de maneira benigna. Porém, caso não haja repouso e cuidados sintomáticos durante o ciclo da doença, os vírus podem migrar para outras partes do corpo. Quando atinge as gônadas (testículos e ovários), pode causar infertilidade.

Transmissão: É transmitida através de gotículas de saliva contaminadas.

Prevenção: A prevenção da caxumba ocorre através da vacina tríplice viral.

Catapora

O vírus da catapora causa febre baixa e pequenas bolhas pelo corpo que causam grande coceira. À medida que que as bolhas arrebentam ou secam, formam-se casquinhas no local. Em geral, desenvolve-se de maneira benigna, desaparecendo sete dias após o início do aparecimento das feridas.

catapora
Imagem 8: Fotografia mostrando as costas e parte da cabeça de uma criança. Vemos em sua pele pequenas feridas, o principal sintoma da catapora.

Transmissão: A transmissão da catapora ocorre através de gotículas de saliva cheias de vírus. Essas gotículas podem ser aspiradas junto com o ar ou ingeridas através do contato mão-boca. Além disso, o contato com secreções provenientes das bolhas também é uma forma de transmissão.

Prevenção: A prevenção contra a catapora é feita através de vacina oferecida pelo SUS para crianças com idade superior a 15 meses. Além disso, é importante que pessoas com catapora permaneçam em casa em repouso.

Gripe

A gripe é uma doença extremamente comum. Porém, apesar de sua aparente naturalidade durante os meses mais frios, não deve ser subestimada. Só no primeiro semestre de 2019, por exemplo, foram 222 mortes causadas pelo vírus H1N1, um dos causadores da gripe.

vírus h1n1
Imagem 9: Fotomicrografia de vírus H1N1 feita com microscópio eletrônico de transmissão.

Os principais sintomas da gripe são dores no corpo, coriza, congestionamento nasal, espirros e febre. Porém, em alguns casos os sintomas podem se agravar, causando uma infecção respiratória grave. As pessoas mais suscetíveis ao agravamento de casos de gripe são as crianças pequenas, idosos e gestantes.

– Transmissão: A gripe é transmitida através de pequenas gotículas cheias de vírus expelidas durante a tosse ou espirros dos doentes. Essas gotinhas podem chegar até outra pessoa através de contato direto (como beijos), pelo ar e através do contato mão-olhos, mão-boca ou mão-nariz com objetos contaminados pelo vírus.

É importante ressaltar que os vírus da gripe circulam entre a população durante todo o ano. Porém, os casos aumentam durante o período de inverno. Isso porque as pessoas tendem a permanecer em ambientes mais fechados por causa do frio. Dessa maneira, a transmissão da gripe através do ar é facilitada.

– Prevenção: Evitar ficar em espaços fechados com outras pessoas, lavar as mãos várias vezes ao dia e evitar levar a mão ao rosto após tocar superfícies em locais públicos pode ajudar. Porém, a maneira mais eficaz é a vacinação. O Brasil, através do SUS oferece anualmente a vacina contra a gripe para grupos de risco: crianças abaixo dos 6 anos, gestantes, idosos, profissionais da saúde e professores.

Raiva

A raiva é uma zoonose, ou seja, uma doença que pode ser transmitida entre várias espécies de animais. Conhecida também como hidrofobia, a raiva é transmitida de mamífero para mamífero através da mordedura de animais contaminados.

Depois que o vírus entra no organismo, pode ficar encubado de um mês a dois anos. Os primeiros sintomas da raiva são bastante inespecíficos: febre, dores de cabeça e mal-estar. Porém, quando o vírus se multiplica, atinge os órgãos do sistema nervoso central.

Isso causa espasmos e contrações musculares involuntárias. Dessa maneira, a pessoa terá dificuldade e dor para engolir até mesmo água (daí o nome hidrofobia), alta sensibilidade à luz, confusão mental e agressividade (por isso, “raiva”).

cão com raiva
Imagem 10: Fotografia de um cão com hidrofobia. A contração muscular involuntária faz com que a musculatura da boca se retraia, deixando os dentes a mostra. Além disso, a dificuldade de deglutição faz com que o animal não consiga engolir saliva, que acaba formando uma espuma na boca.

Após instalados os sintomas mais graves, não há reversão do quadro. Em poucos dias, o animal acaba morrendo. Há menos de 10 casos no mundo onde casos de raiva em humanos foram revertidos. Por conta disso, quando um ser humano sofre a mordedura de uma animal, é preciso que ele seja encaminhado ao hospital para que receba soro e vacina antirrábica.

Transmissão: Como dito acima, a transmissão se dá através da mordedura de animais contaminados, quando a saliva entra em contato com a mucosa ou corrente sanguínea. A transmissão dessa zoonose se dá entre várias espécies de mamíferos, sendo os morcegos hematófagos considerados como reservatórios do vírus da raiva.

Prevenção: A prevenção se dá especialmente através da vacinação anual de animais domésticos.

Hepatites virais:

As hepatites consistem em inflamações do fígado, que levam à dificuldade de processamento de substâncias tóxicas presentes no organismo. Podem ser causadas por diversos fatores, entre eles os vírus.

Ao infectarem o fígado, os vírus da hepatite acabam degradando o órgão. Isso faz com que seja liberada no sangue uma grande quantidade de bilirrubina. A bilirrubina é um pigmento amarelado, o que faz com que o doente apresente icterícia (pele e olhos amarelados). Além disso, as pessoas com hepatite podem apresentar vômito, febre, mudanças nas cores da urina e das fezes.

doenças virais hepatite
Imagem 11: Fotografia do olho de uma pessoa que apresenta icterícia hepática. É visível que a pele e os olhões estão bastante amarelados.

Transmissão: Existem vários tipos de vírus que causam a hepatite. Esses vírus possuem diferentes tipos de transmissão. Os mais frequentes nas populações são os vírus A, B e C. Veja:

  • Hepatite A: Transmitida via fecal-oral, quando a pessoa ingere água e alimentos contaminados com os vírus.
  • Hepatites B e C: Transmitidas através de relações sexuais sem preservativo e objetos perfurantes e/ou cortantes, como seringas e alicates de unha.

Prevenção: A prevenção deve ser relacionada ao tipo de hepatite. Para prevenir a hepatite A, saneamento básico e higiene com os alimentos é essencial. Já para a hepatite B existe vacina fornecida pelo SUS.

Herpes

O vírus da herpes causa a formação de pequenas vesículas cheias de líquidos que podem aparecer próximo aos lábios, nariz, olhos e genitais. Pode também aparecer em uma forma mais grave, atingindo faixas musculares.

As bolhas coçam e doem. Em geral, desaparecem poucos dias após seu surgimento. Não existe cura para a herpes. Os vírus podem permanecer latentes no organismo, próximo ao sistema nervoso. Quando a pessoa apresenta baixa imunidade por algum motivo, os vírus voltam a ocasionar as feridas.

Transmissão: Contato direto com as feridas do doente.

Prevenção: Para evitarmos a herpes é necessário evitar o contato direto com as feridas ou com objetos contaminados.

E aí, conseguiu aprender um pouco mais sobre as principais doenças virais? Agora para conseguir gravar as principais características dessas doenças, que tal ver uma paródia feita pelo professor Gustavo, do canal 5 minutos de Bio?

Agora, para finalizar sua revisão de doenças virais, que tal testar seus conhecimentos com os exercícios que selecionei para você?

Questão 01 – (ESCS DF/2009)    

Por que os médicos chamam tudo de virose ?

“Para o professor emérito da Faculdade de Medicina da USP, Vicente Amato Neto, a palavra está desmoralizada. ‘Abusa-se do termo virose’. Existem muitos recursos que permitem a médicos e paramédicos fazerem diagnósticos melhores”, diz”.

SUPER interessante, 12/12/2008.

Dentre as opções abaixo, aquela que indica doenças provocadas por vírus é:

a) varicela – coqueluche – dengue – gripe.

b) caxumba – sarampo – rubéola – poliomielite.

c) catapora – raiva – difteria – tuberculose.

d) varíola – febre amarela – pneumonia – tétano.

e) herpes – malária – rubéola – febre amarela.

Questão 02 – (FPS PE/2019)    

Observe a figura abaixo.

http://www.contagem.mg.gov.br/novoportal/2018/08/02/contagem-se-une-a-
campanha-nacional-de-vacinacao-contra-sarampo-e-poliomelite/

O sarampo e a poliomielite são

a) viroses.

b) protozooses.

c) bacterioses.

d) micoses.

e) algoses.

Questão 03 – (UEM PR/2019)    

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2018 onze países das Américas notificaram 385 casos confirmados de sarampo: Antígua e Barbuda (1 caso), Argentina (1), Brasil (46), Canadá (4), Colômbia (5), Equador (1), Estados Unidos (41), Guatemala (1), México (4), Peru (2) e Venezuela (279). (Dados retirados do portal do Ministério da Saúde. Disponível em: portalms.saude.gov.br. Acesso em: 04 de set de 2018).

Com base nesses dados e em conhecimentos correlatos, assinale o que for correto.

01) As células causadoras do sarampo são denominadas “procarióticas”.

02) A Venezuela foi responsável por 80% dos casos notificados à OMS.

04) Brasil, Canadá e Colômbia foram responsáveis por dos casos notificados à OMS.

08) O combate ao sarampo ocorre por meio da eliminação do mosquito transmissor.

16) Brasil, Estados Unidos e Venezuela notificaram mais de 90% dos casos de sarampo em 2018.

GABARITO: 

1) Gab: B

2) Gab: A

3) Gab: 20

Sobre o(a) autor(a):

Juliana é bióloga formada pela Universidade Federal de Santa Catarina e cursa o Mestrado em Educação na mesma instituição. Ministra aulas de Ciências e Biologia em escolas da Grande Florianópolis desde 2007 e é coordenadora pedagógica do Blog do Enem.