Karl Marx – Ideias que reverberaram para além de sua época

Conheça um pouco mais sobre um dos maiores pensadores da história neste superpost. Revise História para o Enem e para os vestibulares!

Nascido em 1818, na Alemanha, Karl Marx tornou-se conhecido ao longo das décadas seguintes em todo globo como um dos maiores pensadores do mundo. Influenciou diversas áreas de pensamento, como: história, sociologia, filosofia, economia, antropologia, literatura, ciência política e tantas outras.

Marx produziu diversas teses que visavam refletir sobre um projeto de sociedade que considerava ideal e, embora muitos discordem das ideias marxistas, deve-se considerar a importância deste intelectual para muitos conceitos que utilizamos atualmente. Você conhece as principais ideias de Karl Marx? Não? Então veja esta super aula de História para o Enem!

Karl Marx retrato
Figura 1: Retrato de Karl Marx. Retirado de: https://goo.gl/rNRsHg Marcadores: Karl Marx, pensador, retrato.
O Contexto

Após a derrota das tropas de Napoleão, ao início do século XIX, ocorreu o Congresso de Viena. A política na Europa estava convulsionando em diversas mudanças e incertezas. O Congresso buscava, portanto, dividir as terras francesas entre os vencedores do conflito e restaurar as diversas coroas derrotadas por Napoleão, retomando, então, os reinados absolutistas. Décadas mais tarde, movimentos influenciados pela onda revolucionária burguesa do século passado contestaram as decisões do Congresso.

Na metade do século, a Europa passava por uma crise econômica severa. Diversas áreas produtivas agrícolas sofreram com pragas, secas e outros desastres naturais. A dificuldade na produção fez o preço dos alimentos subirem, causando uma grande onda de fome e miséria. Diversos levantes surgiram exigindo de seus governantes reformas e soluções no evento conhecido como Primavera dos Povos.

Em âmbito mais pessoal, Karl Marx e sua família tinham entraves relacionados à religião, já que no período judeus tinham algumas limitações de ofícios e atividades.

As teses

Marx, em parceria com Friedrich Engels (seu maior colaborador), escreveu pouco antes da Primavera dos Povos um dos documentos políticos mais (se não o mais) importantes da história: O Manifesto Comunista. Nela os autores expõem uma severa crítica ao capitalismo e como os trabalhadores se situavam no meio do sistema econômico.

Manifesto Comunista Karl Marx
Figura 2: Capa da primeira edição do Manifesto Comunista. Retirado de: https://goo.gl/9XvrWs Marcadores: Manifesto Comunista, Primeira Edição, Karl Marx.

“A história de todas as sociedades que existiram até nossos dias tem sido a história das lutas de classes.”

Essa é a frase que inaugura o primeiro capítulo do manifesto. Marx e Engels definiram que todas as sociedades eram organizadas em classes que dominavam e outras que eram dominadas. Dentro de seu contexto industrial, definiram que a burguesia se colocava como dominante, detentora dos meios de produção, ou seja, do maquinário capaz de construir os produtos a serem comercializados. Já os trabalhadores, como classe dominada, sendo relegados unicamente a trocarem sua força de trabalho por seu sustento.

Um trecho importante do documento e que define resumidamente as propostas da dupla encontra-se ao fim do segundo capítulo da obra.

“Essas medidas, é claro, serão diferentes nos vários países. Todavia, nos países mais adiantados, as seguintes medidas poderão geralmente ser postas em prática:

  1. Expropriação da propriedade latifundiária e emprego da renda da terra em proveito do Estado.
  2. Imposto fortemente progressivo.
  3. Abolição do direito de herança.
  4. Confiscação da propriedade de todas os emigrados e sediciosos.
  5. Centralização do crédito nas mãos do Estado por meio de um banco nacional com capital do Estado e com o monopólio exclusivo.
  6. Centralização, nas mãos do Estado, de todos os meios de transporte.
  7. Multiplicação das fábricas e dos instrumentos de produção pertencentes ao Estado, arroteamento das terras incultas e melhoramento das terras cultivadas, segundo um plano geral.
  8. Trabalho obrigatório para todos, organização de exércitos industriais, particularmente para a agricultura.
  9. Combinação do trabalho agrícola e industrial, medidas tendentes a fazer desaparecer gradualmente a distinção entre a cidade e o campo
  10. Educação pública e gratuita de todas as crianças, abolição do trabalho das crianças nas fábricas, tal como é praticado hoje. Combinação da educação com a produção material, etc.”
Dica: Ouça alguns trechos do Manifesto Comunista pela voz de Marcelo Tas nesta leitura dramática:

Anos após o Manifesto Comunista, Marx publicaria a obra de sua vida: O Capital. Enquanto o Manifesto Comunista tinha um caráter de folhetim, para ser distribuído às pessoas nas ruas, o Capital possui outra abordagem, principalmente pelo volume de produção, com centenas de páginas a mais e com uma linguagem mais técnica.

Em sua obra, Marx criou conceitos icônicos utilizados até a atualidade. Como por exemplo a Mais Valia, o qual se caracterizava pela relação: força de trabalho, tempo de produção e lucro. Considerado uma das origens da exploração capitalista burguesa, o conceito, então, definia que o trabalhador recebia uma parcela muito aquém de sua produção e que o lucro, em sua maior parte, ficava com quem detinha os meios de produção.

Influenciado por Hegel, Marx ainda propôs a ideia da Dialética Materialista. Em resumo, o autor dizia que o mundo material, as produções, meios de produção entre outras materialidades, confrontavam constantemente o idealismo, o psicológico humano e que tais contradições movem as sociedades para novas direções. Seguindo a lógica da tese (ideia original), antítese (ideia contraditória) e síntese (nova ideia).

Marx ainda define que as sociedades são movidas pelo Materialismo Histórico, ou seja, pelos conflitos materiais ligados à produção, nos quais os protagonistas são classes dominantes e dominadas, em seu contexto seriam burgueses e proletariados. A solução apontada por Marx para superar a sociedade capitalista seria justamente uma organização socialista e, posteriormente, comunista, com características próximas das citadas anteriormente pelo Manifesto Comunista, na qual a ideia principal seria a socialização dos meios de produção e consequente abolição de classes sociais.

Antes de fazer os exercícios, veja esta paródia do professor Felipe sobre Marx e a luta de classes:

Para finalizar sua revisão, resolva as questões que selecionei para você sobre Karl Marx:

(Unimontes) A questão das classes sociais ocupa um papel fundamental na teoria de Karl Marx. Para ele, existem condicionantes e determinantes na complexa relação entre indivíduo e sociedade e entre consciência e existência social. Considerando as reflexões de Karl Marx sobre esse tema, marque a alternativa incorreta.

a) A luta de classes desenvolve-se no modo de organizar o processo de trabalho e no modo de se apropriar do resultado do trabalho humano.

b) A luta de classes está presente em todas as ações dos trabalhadores quando lutam para diminuir a exploração e a dominação.

c) Em meio aos antagonismos e lutas sociais, o indivíduo pode repensar a realidade, reagir e até mesmo transformá-la, unindo-se a outros em movimentos sociais e políticos.

d) As classes sociais sustentam-se em equilíbrios dinâmicos e solidários, sendo a produção da solidariedade social o resultado necessário à vida em sociedade.

Resposta: D

(Uema) As sociedades modernas são complexas e multifacetadas. Mas é com o capitalismo que as divisões sociais se tornam mais desiguais e excludentes. Marx já observara que só o conflito entre as classes pode mover a história. Assim sendo, para o referido autor, em qual das opções se evidencia uma característica de classe social?

a) O status social e cultural dos indivíduos.

b) A função social exercida pelos indivíduos na sociedade.

c) A ação política dos indivíduos nas sociedades hierarquizadas.

d) A identidade social, cultural e coletiva.

e) A posição que os indivíduos ocupam nas relações de produção.

Resposta: E

(Ufu 2000) De acordo com a teoria de Marx, a desigualdade social se explica

a) pela distribuição da riqueza de acordo com o esforço de cada um no desempenho de seu trabalho.

b) pela divisão da sociedade em classes sociais, decorrente da separação entre proprietários e não proprietários dos meios de produção.

c) pelas diferenças de inteligência e habilidades inatas dos indivíduos, determinadas biologicamente.

d) pela apropriação das condições de trabalho pelos homens mais capazes em contextos históricos, marcados pela igualdade de oportunidades.

Resposta: B

Sobre o(a) autor(a):

Guilherme Silva é formado em História pela Universidade Federal de Santa Catarina. Dá aulas de História em escolas da Grande Florianópolis desde 2016.