Predicado

O estudo do predicado é importante para entendermos as relações entre as palavras na oração. Venha comigo nesta aula de Português para mandar bem nas questões de linguagens do Enem e melhorar sua redação!

O que é predicado?

O predicado é a parte da oração que faz referência ao que acontece com o sujeito. Ou seja, tudo aquilo que não faz parte do sujeito é considerado predicado. É obrigatoriamente composto por um verbo ou locução verbal. Para entendermos melhor o que é um predicado, observe os exemplos abaixo:

Ana e Pedro foram aprovados no vestibular.

O cursista fez uma prova difícil de matemática.

Meus antigos vizinhos mudaram de opção de curso na última hora.

Observe que nas orações acima, as partes destacadas declaram alguma coisa sobre os sujeitos. Dessa maneira, podemos dizer que são predicados dos sujeitos.

predicado

Os predicados podem ser classificados da seguinte maneira: predicado nominal, predicado verbal e predicado verbo-nominal. O núcleo do predicado é a palavra que expõe a principal informação após o sujeito da frase.

Classificação dos predicados

Predicado nominal

O predicado nominal é aquele constituído por um verbo de ligação e pelo predicativo do sujeito. O núcleo do predicado é um nome que atribui uma característica ao sujeito da oração.

Relembrando: os verbos de ligação são aqueles verbos que indicam um estado, ligando uma característica ao sujeito. Não indicam uma ação realizada e não atuam como o núcleo do predicado nominal. Os principais verbos de ligação são: ser, estar, parecer, ficar, tornar-se, continuar, andar e permanecer.

Exemplo de oração com predicado nominal:
Sandra está feliz com a aprovação do vestibular!

Análise sintática da oração:
Sandra: sujeito
está feliz: predicado nominal
está: verbo de ligação
feliz: predicativo do sujeito

Outros exemplos:

O candidato parece cansado.

Juvenal anda estudioso.

Os concurseiros ficaram furiosos com o edital.

Predicado verbal

Identifica-se o predicado verbal como aquele que possui um verbo significativo (verbo de ação) como núcleo. Os verbos significativos indicam ações:  gostar, pensar, querer, estudar, subir, dar, agradecer, perdoar, chorar, pular, gritar, bater, estudar, comer.

Esses verbos podem ser intransitivos ou transitivos, apresentando objeto direto (sem preposição) e objeto indireto (apresenta preposição) como complemento.

Exemplo de oração com predicado verbal:
Os candidatos estudam matemática.

Análise sintática da oração:
Os candidatos: sujeito
estudam para o Enem: predicado verbal
estudam: verbo transitivo direto
Matemática: objeto direto

Outros exemplos de frases com predicado verbal:

a) Os professores ensinaram tudo o que estava previsto na ementa do curso.

ensinaram tudo o que estava previsto na ementa do curso – predicado verbal

ensinaram – verbo transitivo direto

tudo o que estava previsto na ementa do curso – objeto direto

b) Ana e Joana ganharam medalha de reconhecimento.

ganharam medalha de reconhecimento – predicado verbal

ganharam – verbo transitivo direto

medalha de reconhecimento – objeto direto

c) Ele gosta de estudar.

gosta de estudar- predicado verbal

gosta- verbo transitivo indireto

de estudar- objeto indireto

Atenção: Lembre-se sempre que a predicação verbal é a relação entre os verbos e seus complementos.

Predicado verbo-nominal

A identificação do predicado verbo-nominal se faz a partir da presença de dois núcleos: um verbo significativo que indica uma ação do sujeito e um nome com função de predicativo do sujeito, indicando uma qualidade do sujeito ou com função de predicativo do objeto, indicando uma qualidade do objeto direto.

Exemplo de oração com predicado verbo-nominal:
O vestibulando chegou cansado.

Análise sintática da oração:
O vestibulando: sujeito
chegou cansado: predicado verbo-nominal
chegou: verbo significativo
cansado: predicativo do sujeito

Outros exemplos de frases com predicado verbo-nominal:

Os estudantes acabaram a prova cansados.

João completou o exercício satisfeito.

Todos acusaram-na de desmotivada.

Nós consideramos este aluno esforçado.

 

Normalmente, o predicado verbo-nominal é formado por:

1) Verbo intransitivo + predicativo do sujeito.
Exemplo: O aluno gritava nervoso.

2) Verbo transitivo + objeto mais predicativo do sujeito.
Exemplo: Os candidatos terminaram a prova exaustos.

3) Verbo transitivo + objeto + predicativo do objeto
Exemplo: Ontem vi meu aluno muito preocupado.

 

Para descontrair e refletir, leia uma pequena crônica sobre o assunto gramatical.

UM SUJEITO SEM PREDICADO

 Professor Carlos Delano Rebouças

Definir alguém nos leva a buscar, a encontrar predicativos suficientes para este fim. Porém, muitas vezes não conseguimos encontrar ou enxergar condições para tornar esse predicado nominal.

Ser e estar são nossas condições, seja na vida ou no mercado de trabalho; ora sozinho ou em grupo, não importa, desde que esse sujeito, simples, consiga se postar adequadamente ao se tornar composto, numa convivência saudável na contextualização da vida, que possa permitir a sua predicação.

Morfologicamente, os adjetivos existem para qualificar ou caracterizar um substantivo, mas, dentro da Sintaxe, na sua análise, corrobora com o sujeito, qualificando-o, conferindo-lhe atributos que identifiquem seu estado ou sua qualidade.

Assim somos nós – pessoas comuns, cidadãos, trabalhadores – que precisamos, aliás, necessitamos, absolutamente, de inúmeras predicações durante toda a nossa trajetória de vida, pessoal e profissional, para não fazer com que a nossa passagem pela terra seja oração sem sujeito ou um sujeito indeterminado, diante da falta de tantas condições de adjetivação sobre as nossas atitudes.

As nossas atitudes e a nossa postura no mundo permitem que sejamos sempre avaliados. Postar-se adequadamente sob os preceitos que regem a sociedade é conveniente para o nosso período seja longo, coeso e coerente, sem erros, bem trabalhado, de fácil leitura e compreensão, acessível a muitos, apreciado por poucos, pode ser, e que não faltem adjetivos para torná-lo rico em predicados, valorizando um sujeito que pode até ter nascido simples, porém, jamais oculto.

Assim é a Sintaxe da vida, amigos, que se constrói com as mais diferentes classes, não gramaticais, e sim, sociais, que às vezes peca numa perfeita e justa análise de um sujeito, deixando-o sem predicação, quando muitas vezes não lhe faltam qualidades.

Fonte: https://www20.opovo.com.br/app/jornaldoleitor/noticiassecundarias/cronicas/2014/07/15/noticiajornaldoleitorcronicas,3282486/um-sujeito-sem-predicado.shtml

Quer mais exemplos de predicado? Veja nesta videoaula!

  

Exercícios

 

1- (UEL PR/2010)

Marte é o Futuro

1O pouso na Lua não foi só o ápice da corrida espacial. Foi também o passo inicial do turbocapitalismo que 2dominaria as três décadas seguintes. Dependente, porém, de matérias-primas do século 19: aço, carvão, 3óleo. Lançar-se ao espaço implicava algum reconhecimento dos limites da Terra. Ela era azul, mas finita. 4Com o império da tecnociência, ascendeu também sua nêmese, o movimento ambiental. Fixar Marte como 5objetivo para dentro de 20 ou 30 anos, hoje, parece tão louco quanto chegar à Lua em dez, como determinou 6John F. Kennedy. Não há um imperialismo visionário como ele à vista, e isso é bom. A ISS (estação espacial 7internacional) representa a prova viva de que certas metas só podem ser alcançadas pela humanidade como 8um todo, não por nações forjadas no tempo das caravelas. Marte é o futuro da humanidade. Ele nos fornecerá 9a experiência vívida e a imagem perturbadora de um planeta devastado, inabitável. Destino certo da Terra 10em vários milhões de anos. Ou, mais provável, em poucas décadas, se prosseguir o saque a descoberto da 11energia fóssil pelo hipercapitalismo globalizado, inflando a bolha ambiental.

(Adaptado de: LEITE, M. Caderno Mais!. Folha de São Paulo.
São Paulo, domingo, 26 jul. 2009. p. 3.)

Quanto à predicação verbal, é correto afirmar:

a) Em “Lançar-se ao espaço implicava algum reconhecimento” (ref. 3), o verbo implicar, nesse contexto, é um verbo transitivo direto, por isso seu complemento não exige preposição.

b) Em “Não há um imperialismo visionário como ele à vista” (ref. 6), o verbo haver é considerado um verbo de ligação, pois estabelece relação entre sujeito e seu predicativo.

c) Em “A ISS (estação espacial internacional) representa a prova viva” (refs. 5 e 7), o verbo representar é intransitivo, portanto, não necessita complemento.

d) Em “Marte é o futuro da humanidade” (ref. 8), o verbo ser é classificado como verbo transitivo direto e indireto, ou seja, possui um complemento precedido de preposição e outro não.

e) Em “Ele nos fornecerá a experiência vívida e a imagem” (refs. 8 e 9), o verbo fornecer é classificado como verbo defectivo, pois não apresenta a conjugação completa.

 

02 – (UNIRIO RJ/1995)

“CARIOCA (…) FOI O NOME DADO EM VIRTUDE DO DEPÓSITO DE PIPAS DE ÁGUAS FRESCA.”

A opção correta, quanto à sintaxe da oração acima, é:

a) o predicado é nominal.

b) o predicado é verbal.

c) o verbo, na oração, é transitivo direto.

d) EM VIRTUDE DO DEPÓSITO … FRESCA é adjunto adverbial de consequência.

e) DE ÁGUA FRESCA é complemento nominal.

 

3- (UEPG PR/2017)

Passe livre?

Os turistas que chegam a Boston, nos Estados Unidos, têm uma agradável surpresa: uma viagem na Silver Line, o corredor de ônibus que liga o aeroporto ao centro da cidade, sai de graça. Mas a tarifa zero só vale para quem embarca no próprio aeroporto: passageiros regulares pagam US$ 2,65. A ideia é dar uma espécie de “boas vindas” aos visitantes. A 7,5 mil quilômetros de Boston, a cidade de Agudos, no interior de São Paulo, tem passe livre integral. Todo mês o prefeito aplica R$ 120 mil na rede de 16 ônibus da cidade e só isso já garante o deslocamento de toda a população.

“Considero possível a tarifa zero em qualquer cidade. Mas trata-se de uma medida que demanda reestruturação tributária nos municípios”, diz Paulo Cesar Marques da Silva, especialista em mobilidade da Universidade de Brasília. A aplicação de impostos progressivos, cuja alíquota aumenta conforme a renda do contribuinte é uma possibilidade. Outra, segundo Paulo, é “a taxação pelo uso do automóvel, seja em estacionamentos públicos, seja pela circulação”. O pedágio urbano se tornou famoso após sua implantação em Londres: em dez anos, reduziu em 21% a presença de carros no centro da cidade.

“Precisamos de modelos de arrecadação. Caso contrário, a tarifa vai sempre subir e, no fim, muita gente deixa de usar o transporte”, afirma João Cucci Neto, professor de engenharia de tráfego da universidade Mackenzie. Além desses subsídios, a taxação da gasolina, a contribuição da indústria e outros empreendimentos que se beneficiem de um bom sistema de transporte são alguns modelos possíveis.

Adaptado de: Galileu, mar/2016, ed. 296, p. 30.

Sobre a palavra aplica no primeiro parágrafo e aplicação no segundo parágrafo, assinale o que for correto.

01. No primeiro parágrafo, o sentido da palavra recai sobre o governo e, no segundo parágrafo, recai sobre a população.

02. Em ambos os casos a palavra é um verbo.

04. Em ambos os casos a palavra é um substantivo.

08. No primeiro parágrafo, o sentido da palavra é de investir/empregar, já no segundo, o sentido é de decretar/impor.

16. No primeiro parágrafo, indica a ação praticada e, no segundo parágrafo, é o sujeito de uma sentença cujo predicado é nominal.

 

4- (UNIFOR CE/2011)

O Homem que se endereçou

Apanhou o envelope e na sua letra cuidadosa subscritou a si mesmo: Narciso, rua Treze, nº 21.

Passou cola nas bordas do papel, mergulhou no envelope e fechou-se. Horas mais tarde a empregada colocou-o no correio. Um dia depois sentiu-se na mala do carteiro. Diante de uma casa, percebeu que o funcionário tinha parado indeciso, consultara o envelope e prosseguira. Voltou ao DCT, foi colocado numa prateleira.Dias depois, um novo carteiro procurou seu endereço. Não achou, devia ter saído algo errado. A carta voltou à prateleira, no meio de muitas outras, amareladas, empoeiradas. Sentiu, então, com terror, que a carta se extraviara. E Narciso nunca mais encontrou a si mesmo.

BRANDÃO, Ignácio de Loyola. O homem com o furo na mão e
outras histórias
. São Paulo: Editora Ática, 1998

Há um caso de predicado verbo-nominal na alternativa:

a) …o funcionário tinha parado indeciso

b) …consultara o envelope e prosseguira

c) … a empregada colocou-o no correio

d) Narciso nunca mais encontrou a si mesmo

e) A carta voltou à prateleira

 

1- Gab: A

2- Gab: B

3- Gab: 25

4- Gab: A

Sobre o(a) autor(a):

Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Andressa da Costa Farias para o Blog do Enem. Andressa é formada em Letras Português e Literatura Brasileira pela Universidade Federal de Santa Maria. E atualmente cursa Doutorado em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina. Colabora eventualmente escrevendo crônicas para o jornal Diário de Santa Maria (RS) das quais posta no blog pessoal: www.andressacf.blogspot.com Facebook: https://www.facebook.com/andressa.dacostafarias