Comuna de Paris – Trabalhadoras e trabalhadores unidos

Entenda nesta aula os motivos pelos quais historiadores afirmam que a Comuna de Paris foi o primeiro governo de operários existente. Revise a Comuna de Paris nesta aula de História para o Enem!

Um século de lutas

O século XIX, para a Europa, foi um grande turbilhão de transformações. Neste período ocorreram inúmeras transformações de forma muito rápida e intensa. Dentre elas podemos destacar as disputas entre valores iluministas, burguesia e a repressão do Congresso de Viena, a Revolução Industrial, os movimentos de trabalhadores e a invasão dos continentes africanos e asiáticos. Essas transformações foram dominadas por quatro correntes de pensamento: o liberalismo, o nacionalismo, o socialismo e o anarquismo. Cada uma delas defendia interesses de grupos específicos, e é justamente na disputa desses interesses que revoluções e revoltas, como a Comuna de Paris, iriam surgir.

Em 1852, o então presidente da França, Luís Bonaparte (conhecido como Napoleão III) foi coroado imperador com apoio da igreja, burguesia e do exército. Em seu governo, o foco foi expandir a indústria e os domínios coloniais franceses, adentrando o espírito nacionalista de seu período. Acontece que outras nações, como foi o caso da Prússia, também tinham pretensões imperialistas. Isso provocou um choque de interesses com o imperador francês.

Guerra Franco-Prussiana

O chanceler Otto Von Bismark, da Prússia, entrou para a história como principal liderança na unificação alemã. Após anexar territórios até então dominados pela Dinamarca e pelo Império Austro-Húngaro, chegava a vez de dominar territórios sob controle francês. Tratava-se da região de Alsácia-Lorena, que tinha uma abundância de recursos minerais como ferro e carvão – elementos essenciais durante a Revolução Industrial. Essa mesma região seria devolvida à França no fim da Primeira Guerra Mundial. No entanto, seria recuperada pelos alemães sob o comando de Hitler.

A guerra entre alemães e franceses se iniciou com a manipulação de Bismark de telegramas escritos pelo rei alemão Guilherme I e destinados à Napoleão III. O conflito já esperado pelos líderes alemães que haviam alimentado a xenofobia do povo em relação aos vizinhos. Logo após o início do confronto, as tropas francesas foram derrotadas. O próprio Luís Bonaparte chegou a ser feito prisioneiro. Em 1871, o presidente provisório da França, Louis Adolphe Thiers, negociou a rendição da França.

comuna de paris
Figuras 1 e 2: Luís Bonaparte, ou Napoleão III, segundo imperador da França e Otto Von Bismarck, chanceler alemão, respectivamente. Imagens retiradas de: http://twixar.me/1sPn e http://twixar.me/TsPn, respectivamente.

 

A Comuna de Paris

A rendição do governo francês provocou a indignação de parte expressiva da população, principalmente dos nacionalistas e dos militares. Nesta atmosfera de crise política, as angústias provocadas pelas precárias condições de trabalho às quais o povo francês estava submetido alimentaram ainda mais as tensões. Então, em março de 1871, as massas insatisfeitas depuseram os líderes franceses e instauraram um governo de caráter popular que ficou conhecido como Comuna de Paris.

No entanto, a experiência durou apenas dois meses. Apesar de sua curta duração, sua importância para a história europeia é central, pois foi defendida por Marx e por muitos historiadores ainda hoje como o primeiro governo socialista. A Comuna funcionou durante sua existência como um governo popular no qual trabalhadores e outros líderes tomavam as decisões em conjunto.

Assim, aboliram o trabalho noturno, decretaram sufrágio universal (com a inédita inclusão das mulheres), o congelamento de preços para itens básicos, a ocupação de fábricas e prédios vazios, a instituição do ensino público obrigatório, a redução da jornada de trabalho, entre outras pautas populares. Dessa maneira, a Comuna de Paris não se tornava apenas uma ameaça para os monarquistas depostos, mas para toda alta burguesia que via suas fontes de riquezas ameaçadas.

A reação contra a Comuna não tardou: foi realizada uma aliança entre o governo francês deposto e os alemães. Com um ataque massivo, os revoltosos foram massacrados, chegando a quase 20 mil mortos e a mais de 50 mil presos. O socialismo só conseguiria reaparecer no poder com a Revolução Russa, em 1917, 46 anos após a Comuna de Paris.

comuna de paris
Figura 2: Mulheres na Comuna de Paris. Fonte: http://twixar.me/GsPn

 

Quer saber mais sobre a Comuna de Paris? É só assistir à esta videoaula do canal Parabólica!

Se quiser entender melhor conceitos marxistas, nossa dica é este vídeo dos canais Leitura Obrigahistória e Saia da Matrix:

Exercícios:

 

Questão 01 – (Mackenzie SP)

Entre o final de 1870 e o início de 1871, uma guerra entre nações – França e Prússia – transformou-se em um conflito civil entre franceses, que desencadeou o surgimento de um governo eleito parisiense, em março de 1871, denominado de Comuna de Paris. A respeito do contexto histórico da época, podemos afirmar que

a) a Comuna de Paris foi o primeiro levante operário da história moderna a manifestar o apoio popular perante o imperador francês, motivado pelo espírito nacionalista, após a invasão do país por tropas prussianas.

b) a maioria dos deputados monarquistas, na Assembleia Nacional Francesa, durante a Guerra Franco-Prussiana, era favorável à capitulação ante a Prússia. Porém, o operariado francês em todo o país insuflou-se lutando contra a invasão.

c) com a captura do imperador francês Luís Bonaparte, instituiu-se um Governo Provisório que, com o apoio da população, aceitou a capitulação da França perante a Prússia, entregando suas armas e desarmando o exército diante dos oponentes prussianos.

d) a instauração de um primeiro governo socialista organizado por operários deveu-se à dominação política e econômica da burguesia parisiense sobre a classe operária e a derrota da Prússia pela França.

e) a derrota sofrida na Guerra Franco-Prussiana e as péssimas condições de vida do operariado francês cooperaram para que, em 1871, em Paris, o levante dos trabalhadores tenha sido, apesar de breve, a primeira experiência de um governo socialista.

 

Questão 02 – (UEG GO)

Leia o texto a seguir.

Na madrugada de 18 de Março, Paris acordou com o rebentamento do trovão vive la commune! Que é a Comuna, essa esfinge que atormenta o espírito burguês?

“Os proletários da capital – dizia o Comitê Central no seu manifesto do dia 18 de Março – no meio dos desfalecimentos e das traições das classes governantes, compreenderam que para eles tinha chegado a hora de salvar a situação tomando em mãos a direção dos negócios públicos.”

MAX, Karl. Vive la Comune! In: MAR-

QUES, A. BERUTTI, F. FARIA, R. Histó-

ria contemporânea através de textos.

São Paulo: Contexto, 2010. p. 56.

A citação refere-se à Comuna de Paris, movimento popular que controlou a capital francesa em 1871. O manifesto dos revolucionários acusou o governo francês de traição porque o mesmo

a) obrigou os proletários a integrarem-se ao Exército para lutarem na guerra franco-prussiana.

b) entregou as estratégicas regiões de Alsácia e Lorena para serem incorporadas à Prússia.

c) coligou com a Inglaterra e Prússia contra os trabalhadores para evitar a revolução socialista.

d) tentou desarmar a população de Paris, obedecendo às imposições do governo prussiano.

e) autorizou a ocupação de Paris permanentemente pelo exército prussiano.

 

Questão 03 – (FGV)

A Comuna é, assim, um órgão executivo e legislativo ao mesmo tempo, onde os poderes não estão “divididos”, mas sim “descentralizados”. (…) nasce como prefeitura e age como tal. Mas acima dela nada existe. (…) A Comuna toma funções próprias do Estado centralizador e, ao projetá-lo em uma dimensão municipal, converte-se, de fato, em uma reformulação fundamental da relação entre o poder e a sociedade. (…) seria o “governo dos produtores”, a “república do trabalho”.

(Horácio González. A Comuna de Paris, 1982)

A partir do excerto e do que se sabe sobre a Comuna, é correto afirmar que

a) a Comuna de Paris foi um órgão político centralizador, nascido em meio à Primeira Guerra, em 1914, e visava manter as relações típicas entre o poder e a sociedade da hierarquia liberal burguesa, isto é, baseadas no capital e na propriedade; foi derrotada.

b) foi uma forma de autogestão, nascida da luta liberal em Paris, cidade abandonada pelo governo de Thiers, em meio à Guerra Franco-Prussiana, em 1914, para proteção das relações entre o poder centralizado e a sociedade da ordem liberal burguesa; foi vencedora.

c) a Comuna de Paris nasceu como uma municipalidade, em 1871; visou transformar as funções do Estado em um pacto comunal que destruiu as forças políticas contra o trabalhador baseadas nas relações de solidariedade; foi derrotada.

d) os trabalhadores de Paris tomaram o poder, em 1871, para impedir o avanço alemão sobre a cidade; eles tinham o objetivo de alterar as relações democráticas existentes, baseadas na cooperação e na descentralização; foram vencedores.

e) a Comuna nasceu em Versalhes, em meio à Guerra Franco-Prussiana, em 1866, para proteger o governo antidemocrático que havia abandonado Paris e cuja ação privilegiava os interesses dos trabalhadores urbanos e do campo; foi derrotada.

 

01) Gab: E

02) Gab: D

03) Gab: C