Migrações internas no Brasil

No século XX, os movimentos populacionais internos do Brasil foram intensificados. Vamos entender melhor este processo para a prova do Enem!

Migrações internas são os fluxos de migração que ocorrem no interior de determinado território. No Brasil, os fluxos migratórios existem desde a época colonial, mas ainda não eram tão intensos. Somente no século XX os fluxos migratórios passaram a se intensificar dentro do país. Saiba mais sobre as migrações internas no Brasil com esta aula de Geografia para o Enem!

migrações internas no brasil
Figura 1: Mudança dos fluxos migratórios no Brasil de 1950 a 1990.

Na época colonial, o Brasil não apresentava grandes fluxos migratórios. Isso porque o sistema de transporte do país era praticamente inexistente e as vias de circulação ainda não haviam sido estruturadas. Com os avanços econômicos, a circulação pelo território foi sendo melhorada, principalmente a partir da construção de rodovias e ferrovias.

Com os avanços no sistema de transporte, a movimentação em massa da população pelo território brasileiro tornou-se mais fácil. As péssimas condições de vida na maior parte do país e predominância de trabalho escravo também dificultavam os fluxos.

Foi apenas no final do século XIX que os fluxos migratórios internos passaram a se intensificar. Desse modo, a movimentação em massa da população das regiões Norte e Nordeste para as regiões Sul e Sudeste configurou-se como o principal fluxo migratório brasileiro.

Esses fluxos foram se intensificando até que no século XX, com o declínio da economia nordestina e a industrialização das metrópoles do Sudeste brasileiro, essas migrações se consolidaram como movimentação em massa. A busca por emprego e melhor qualidade de vida foram os principais fatores para o início das migrações.

Atualmente, as migrações das regiões Norte e Nordeste para o Sul e Sudeste diminuíram bastante, especialmente a partir da década de 80. Entre os anos 2000 e 2008, os fluxos de pessoas saindo do Nordeste para viver no Sudeste foram menores do que os fluxos contrários.

A diminuição desses fluxos está ligada à recuperação da região Nordeste e melhoria na sua industrialização. A industrialização do Nordeste acontece por conta do saturamento do Sudeste, que proporcionou a interiorização das indústrias no território brasileiro.

Com o crescimento das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, proporcionado também pela presença da capital Brasília, torna-se crescente o início das migrações para estas regiões saindo do Sul e do Sudeste. As ofertas de emprego tornam-se atrativas para que as pessoas migrassem do litoral para o interior do país.

Entre os anos de 2000 e 2010, o número de políticas públicas criadas para o desenvolvimento do Norte e Nordeste brasileiro e para o combate à pobreza extrema nessas regiões foi bastante significativo, sendo este um dos maiores focos do governo na época.

Atualmente, o fluxo migratório em direção à região da floresta amazônica e ao Brasil Central é o de maior destaque. Mesmo com esta mudança de fluxos, o Sudeste ainda é a região que mais recebeu migrantes na história do Brasil.

Continue seus estudos sobre a migração interna no Brasil com esta videoaula:

Exercícios

Questão 01 – (UNESP SP/2017)    

Alguns estudos recentes mostram que, de fato, há uma mudança ocorrendo na equação das migrações internas e na conformação das redes urbanas, com um novo papel de protagonismo regional dessas cidades médias, cuja população e PIB crescem mais do que as grandes cidades brasileiras.

(João S. W. Ferreira e Luciana Ferrara. “A formulação de uma nova
matriz urbana no Brasil”. In: Tarcisio Nunes et al. (orgs.).
Habitação social e sustentabilidade urbana, 2015. Adaptado.)

Assinale a alternativa que indica corretamente o fenômeno urbano caracterizado no excerto.

a) Verticalização.

b) Segregação socioespacial.

c) Gentrificação.

d) Favelização.

e) Desmetropolização.

 

Questão 02 – (UNIC MT/2017)    

Considerando os mapas e os conhecimentos sobre as migrações internas no Brasil, marque V nas afirmativas verdadeiras e F, nas falsas.

(   ) A migração de retorno de nordestinos, identificada no mapa I, teve como causas, dentre outras, a precariedade nas condições de vida dos centros urbanos do Sudeste.

(   ) O crescimento das cidades médias figura como um dos principais responsáveis pela atração de imigrantes.

(   ) A inversão da corrente imigratória cartografada em III resulta, sobretudo, do déficit habitacional da metrópole carioca.

(   ) Apesar da continuidade dos fluxos migratórios interregionais, o volume das migrações entre as regiões brasileiras tem diminuído nos últimos anos.

(   ) No mapa II, verifica-se uma migração de retorno motivada pelo fim do movimento de expansão da fronteira agrícola.

A alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo, é a

a) F F V V F

b) F V F F V

c) V V F V V

d) V F V V F

e) V V F F V

 

Questão 03 – (Fac. Santo Agostinho BA/2016)    

TERRA Lygia ET AL. Geografia: conexões: estudos de geografia
geral e do Brasil. São Paulo: Moderna, 2015, p. 135.

A partir da análise dos mapas, que representam as migrações inter-regionais no Brasil entre os anos de 2005 e 2010, e dos conhecimentos sobre as migrações internas, marque V nas afirmativas verdadeiras e F, nas falsas.

(   ) A Região Nordeste foi a que apresentou o maior fluxo de migração de retorno, embora seja a que mais perde população para as demais regiões.

(   ) A Região Sudeste, por fornecer as maiores oportunidades de emprego, em razão do processo de industrialização, apresenta o mais expressivo saldo migratório positivo.

(   ) A Região Centro-Oeste recebe muito mais migrantes do que perde, sendo, atualmente, o principal destino dos fluxos migratórios do país.

(   ) As mudanças nas migrações estão ligadas, nas últimas décadas, à descentralização da atividade produtiva e à desmetropolização.

A alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo, é a

01. V V V V

02. V F V F

03. F V F V

04. V F F V

05. F V V F

 

01 – Gab: E

02 – Gab: C

03 – Gab: 01

Simulado

.

Sobre o(a) autor(a):

Este texto foi elaborado pelo geógrafo e professor de Geografia Marcelo de Araújo para o Curso Enem Gratuito. Marcelo é formado em Geografia (licenciatura) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Atualmente trabalha como autônomo. https://www.facebook.com/mdearaujo22

Compartilhe: