Proposta de redação para o Enem: a agricultura familiar no Brasil

A representatividade e a função social da agricultura familiar no Brasil é uma das temáticas possíveis da redação do Enem. Vem ver a proposta, as dicas e treinar sua redação!

Pensando no Enem 2019, especificamente na redação, o Curso Enem Gratuito apresentará algumas propostas de redação para você praticar o texto dissertativo-argumentativo. Não esqueça que você encontra ao longo dos nossos posts todo conteúdo necessário para entender esse gênero textual. Ao final desta proposta de redação, você encontrará algumas sugestões do Prof. João Paulo que ajudarão você a produzir esse texto da melhor maneira possível.

Vamos à proposta?

Proposta de redação

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “A REPRESENTATIVIDADE E A FUNÇÃO SOCIAL DA AGRICULTURA FAMILIAR NO BRASIL”, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

TEXTO I

— O padrinho por que não compra um sítio? Seria tão bom fazer as suas culturas, ter o seu pomar, a sua horta… não acha?

Tão taciturno que ele estivesse, não pôde deixar de modificar imediatamente a sua fisionomia à lembrança da moça. Era um velho desejo seu, esse de tirar da terra o alimento, a alegria e a fortuna; e foi lembrando dos seus antigos projetos que respondeu à afilhada:

— É verdade, minha filha. Que magnífica ideia, tens tu! Há por aí tantas terras férteis sem emprego… A nossa terra tem os terrenos mais férteis do mundo… O milho pode dar até duas colheitas e quatrocentos por um…

[…]

—Em toda a parte — não acha, meu padrinho? — há terras férteis.

—Mas como no Brasil, apressou-se ele em dizer, há poucos países que as tenham. Vou fazer o que tu dizes: plantar, criar, cultivar o milho, o feijão, a batata inglesa… Tu irás ver as minhas culturas, a minha horta, o meu pomar — então é que te convencerás como são fecundas as nossas terras!

A ideia caiu-lhe na cabeça e germinou logo. O terreno estava amanhado e só esperava uma boa semente. Não lhe voltou a alegria que jamais teve, mas a taciturnidade foi-se com o abatimento moral, e veio-lhe a atividade mental cerebrina, por assim dizer, de outros tempos. Indagou dos preços correntes das frutas, dos legumes, das batatas, dos aipins; calculou que cinquenta laranjeiras, trinta abacateiros, oitenta pessegueiros, outras árvores frutíferas, além dos abacaxis (que mina!), das abóboras e outros produtos menos importantes, podiam dar o rendimento anual de mais de quatro contos, tirando as despesas. Seria ocioso trazer para aqui os detalhes dos seus cálculos, baseados em tudo no que vem estabelecido nos boletins da Associação de Agricultura Nacional. Levou em linha de conta a produção média de cada pé de fruteira, de hectare cultivado, e também os salários, as perdas inevitáveis; e, quanto aos preços, ele foi em pessoa ao mercado buscá-los.

Planejou a sua vida agrícola com a exatidão e meticulosidade que punha em todos os seus projetos. Encarou-a por todas as faces, pesou as vantagens e ônus; e muito contente ficou em vê-la monetariamente atraente, não por ambição de fazer fortuna, mas por haver nisso mais uma demonstração das excelências do Brasil.

(BARRETO, Lima. Triste fim de Policarpo Quaresma. Fragmento)

 

TEXTO II

proposta de redação

TEXTO III

Fazer uma leitura crítica da trajetória da agricultura brasileira é importante para que se possa imaginar um futuro mais sustentável e para subsidiar ações efetivas. Um dos problemas é a grande desigualdade de produtividade e de renda no campo, o que tem sido atribuído ao fato de a maior parte dos pequenos produtores não ter sido capaz de adotar novas tecnologias. Essa “não adoção” é consequência de inúmeros fatores, como o elevado custo de incorporação das novas tecnologias, baixa escolaridade e carência de políticas públicas.

Em 2006, apenas 0,43% dos estabelecimentos rurais, o que corresponde a cerca de 22 mil dos 5.175.489 existentes no Brasil, respondia por mais da metade do valor produzido. Esses números se opõem à vasta maioria dos estabelecimentos (3,9 milhões), cuja renda bruta (em salários mínimos mensais) atinge, no máximo, dois salários mínimos.

(Disponível em: https://www.embrapa.br/visao/trajetoria-da-agricultura-brasileira. Acesso em: 26 jul 2019)

 

TEXTO IV

proposta de redação
Disponível em: http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2015/06/recursos-para-pequeno-agricultor-crescem-20. Acesso em 26 jul 2018.

  

TEXTO V 

Comida e política

Os agricultores familiares também lamentam a pouca representatividade em Brasília. Depois da extinção do Ministério de Desenvolvimento Agrário, em 2016, que era voltado para agricultura familiar, uma secretaria especial, ligada à Casa Civil, foi criada. Ela está fora da alçada do Ministério da Agricultura, comandado por Blairo Maggi, que ficou conhecido como “rei da soja”.

“Isso diminuiu o status da importância da agricultura familiar”, critica Antoninho Rovaris, da Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (Contag). “Está claro que o Ministério da Agricultura, que é dos grandes produtores e tem grande bancada no Congresso Nacional, se sobrepõe”, afirma. “A bancada ruralista diz que está defendendo todo mundo. Mas não nos sentimos representados.”

 Disponível em: https://www.dw.com/pt-br/quem-produz-os-alimentos-que-chegam-%C3%A0-mesa-do-brasileiro/a-42105492. Acesso em: 27 jul 2019.

 

Instruções para a redação
  • O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
  • O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria, em até 30 linhas.
  • A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
  • A redação que apresentar proposta de intervenção que desrespeite os direitos humanos receberá nota zero.
  • A redação que apresentar cópia dos textos da Proposta de Redação terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

Receberá nota zero, em qualquer das situações expressas a seguir, a redação que:

  • Desrespeitar os direitos dos animais e os direitos humanos;
  • Tiver até 7 (sete) linhas escritas, sendo considerada “texto insuficiente”;
  • Fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo;
  • Apresentar parte do texto deliberadamente desconectada do tema proposto. 
Como produzir o texto dissertativo-argumentativo a partir do tema proposto de maneira satisfatória?

Seguem algumas sugestões do professor:

  1. Rascunhar ideias e palavras-chave:

Que ideias e palavras surgem quando você lê o tema “agricultura familiar no Brasil”? Anote tudo em uma folha. Mesmo a ideia mais superficial deve ser anotada, pois poderá ser útil para o desenvolvimento de um argumento. Ajudinha do professor na lista de palavras e ideias: sustentabilidade, economia consciente, agroecologia, subsistência, alimentos orgânicos, incentivo ao agricultor permanecer no campo, geração de renda… Continue a sua lista.

  1. Pensando a tese:

Quando finalizar sua lista de palavras e ideias, faça uma leitura de tudo que anotou. Depois comece a esboçar o primeiro parágrafo de seu texto, isto é, a introdução. É nessa parte que se deve apresentar o tema e também a tese que será defendida: Qual a importância da agricultura familiar no atual cenário brasileiro? Qual a sua representatividade e função social? E, finalmente, qual a tese, o ponto de vista sobre esse assunto, que você defenderá ao longo de seu texto?

Dúvidas em como iniciar sua redação? A prof. Dani te ajuda!

  1. Estruturando a argumentação:

Feita a versão preliminar da introdução é hora de focar na argumentação, o coração do seu texto. Revise as palavras anotadas e pense nas possibilidades de transformá-las em argumentos que sustentem a sua tese.

Sempre de maneira impessoal, sem radicalismos e utilizando a modalidade formal da língua portuguesa escrita. Exemplificações, dados estatísticos, resultados de pesquisas, citação de fontes confiáveis e de especialistas no assunto são algumas das possibilidades de elaborar uma argumentação consistente.

  1. Concluindo o meu texto dissertativo-argumentativo:

A última etapa consiste na escrita do parágrafo de conclusão do seu texto. Um momento igualmente importante, onde você dará o nó final nas ideias apresentadas ao longo dos parágrafos anteriores. Além de fechar tudo que foi exposto e argumentado, a conclusão deve apresentar uma proposta de intervenção ao tema proposto, sempre respeitando os direitos humanos.

No tema em questão, o que pode ser feito para a agricultura familiar ter sua representatividade e função social respeitadas e garantidas? Que medidas e atitudes a sociedade pode começar a manifestar, a fim de valorizar quem tem na agricultura familiar a sua fonte de renda?

A prof. Dani também explica como fazer a proposta de intervenção:

  1. Título? Sim!

A sugestão do professor é sempre dar um título ao texto produzido na redação do Enem. Não é obrigatório, mas confere uma certa identidade, e até mesmo autoria, ao que você produziu. Outra dica é deixar a elaboração do título para o final, uma vez que várias ideias e possibilidades surgem no ato da escrita. Não deixe de anotá-las!

  1. Número de linhas X Número de parágrafos

Quanto ao número de linhas e parágrafos, o professor sugere a utilização consciente e adequada de todas as trinta linhas, distribuídas em quatro parágrafos: um de introdução, dois de desenvolvimento e uma conclusão;

  1. A arte final: passando o meu texto a limpo

Antes de fazer a transcrição da versão definitiva de seu texto dissertativo-argumentativo, revise-o completamente. Observe a ortografia e acentuação das palavras, os sinais de pontuação e outros sinais gráficos (aspas, parênteses, travessões), etc.

Ao passá-lo a limpo, utilize caneta esferográfica de tinta preta. Habitue-se também a produzir seu rascunho utilizando caneta: o uso de lápis não é permitido nas provas do Enem e na maioria dos vestibulares do Brasil.

A estética também é um elemento importante a ser observado: título do texto centralizado na primeira linha, espaços dos parágrafos, respeito às margens e às linhas, letra legível, distinção de letras maiúsculas e minúsculas, pingos nas letras “i” e “j” minúsculas, evitar rasuras, rabiscos, desenhos e evitar deixar linhas em branco entre um parágrafo e outro, etc.

  1. Mais dicas? Temos!

Não deixe de conferir outras propostas e dicas sobre a redação do Enem aqui no nosso curso. Um exemplo é a questão dos maus-tratos aos animais, tema polêmico e de suma importância para a sociedade brasileira, e também dicas de como desenvolver o referido tema em um texto dissertativo-argumentativo, da melhor maneira possível.

Pra terminar, assista à esta videoaula sobre como escrever uma redação sobre um tema que você não sabe!

Sobre o(a) autor(a):

Texto produzido pelo Professor João Paulo Prilla para o Curso Enem Gratuito. JP é licenciado em Letras- Português, Inglês e respectivas Literaturas (2010) pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões e mestrando em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina. Ministra aulas de Literatura, Língua Portuguesa e Redação em escolas da Grande Florianópolis desde 2011.