Preposição

As preposições são palavras que estabelecem uma relação do tipo subordinativa entre dois ou mais termos de uma oração. Ou seja, o sentido da oração depende da relação estabelecida pela preposição. Isso quer dizer que entre os elementos unidos pelas preposições não há sentido separado ou individualizado. Estudar as preposições e suas funções vai te ajudar a melhorar sua interpretação de texto e sua redação. Vamos lá?

Dentro da morfologia, dizemos que as preposições formam uma classe gramatical invariável, assim como as conjunções, interjeições e advérbios. Como acabamos de ver, preposição é a palavra que estabelece uma relação entre dois ou mais elementos presentes em uma oração. Lembre-se que o reconhecimento de uma oração se faz através da identificação do verbo na frase. E, muitas vezes, a preposição interligando as frases é fundamental para o entendimento da mensagem.

Para compreender melhor, veja os exemplos a seguir:

a) Os amigos da candidata estranharam o seu modo de

amigos da candidata / modo de vestir: elementos ligados por preposição

da: preposição

de: preposição

b) Ele esperou com alegria a lista dos aprovados no vestibular.

esperou com alegria: elementos ligados por preposição

com: preposição

Observe que tanto no exemplo (a) quanto no exemplo (b) os conectivos cumprem a função de ligar os elementos da oração. A ligação destas palavras ocorre a partir de um processo de subordinação por meio das preposições “da”, “de” e “com”. Esse processo é denominado regência.

Na regência, o primeiro elemento da relação estabelecida chama-se antecedente, o termo que rege, aquele que impõe um regime. Já o segundo elemento é chamado de consequente, o termo regido, aquele que cumpre o regime estabelecido pelo antecedente.

Acompanhe outros exemplos:

a) A hora da prova é sagrada.

hora da prova: elementos ligados por preposição

de + a = da: preposição

hora: termo antecedente = rege a construção “da prova”

prova: termo consequente = é regido pela construção “hora da”

b) Alguém passou pelo ENEM?

passou pelo ENEM: elementos ligados por preposição

pelo: preposição

passou: termo antecedente = rege a construção “pelo ENEM”

ENEM: termo consequente = é regido pela construção “passou pelo”

preposição
Figura 1: Exemplo de uso da preposição “de”. Fonte: https://foryee.tumblr.com/image/54102518234

Invariabilidade da preposição

As preposições são palavras invariáveis, pois não sofrem flexão de gênero e número. Também não sofrem variação em grau como os nomes, nem de pessoa, tempo, modo, aspecto e voz como os verbos.

No entanto, em diversas situações as preposições se combinam com outras palavras (fenômeno da contração). Assim, estabelecem uma relação de concordância em gênero e número com as palavras às quais se ligam. Mesmo assim, não se trata de uma variação própria da preposição, mas sim da palavra com a qual ela se funde.

Acompanhe a seguir os exemplos de contração de preposição com artigo:
de + o = do
por + a = pela
em + um = num

Funções da preposição

As preposições podem introduzir:

a) Complementos Verbais

Exemplo: Eu obedeço “aos meus princípios”.

b) Complementos Nominais

Exemplo: Continuo obediente “aos meus princípios”.

c) Locuções Adjetivas

Exemplo: É uma estudante “de valor”.

d) Locuções Adverbiais

Exemplo: Tive que estudar “com cautela”.

e) Orações Reduzidas

Exemplo: “Ao chegar”, comentou sobre a prova realizada.

Preposições Essenciais

As preposições essenciais são aquelas palavras da língua portuguesa que atuam exclusivamente como preposição. São elas:

a, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, per, perante, por, sem, sob, sobre, trás

Além dessas preposições, há também a formação de locução prepositiva.

Locução prepositiva

A locução prepositiva se constitui como o conjunto de duas ou mais palavras que têm o valor de uma preposição. A última palavra dessas locuções é sempre uma preposição.

Confira a seguir as principais locuções prepositivas:

abaixo de
acima de
acerca de
a fim de
além de
a par de
apesar de
antes de
depois de
ao invés de
diante de
em fase de
em vez de
graças a
junto a
junto com
junto de
à custa de
defronte de
através de
em via de
de encontro a
em frente de
em frente a
sob pena de
a respeito de
ao encontro de

Combinação e Contração da Preposição

A contração e a combinação das preposições ocorre quando as preposições adeem e per unem-se a certas palavras formando um só vocábulo. Essa união pode ser por:

Combinação: ocorre quando a preposição, ao unir-se a outra palavra, mantém todos os seus fonemas. Por exemplo:

preposição + artigo masculino o = ao
preposição + artigo masculino os = aos

Contração: ocorre quando a preposição sofre modificações na sua estrutura fonológica ao unir-se a outra palavra. As preposições de e em, por exemplo, formam contrações com os artigos e com diversos pronomes. Veja:

do dos da das
num nuns numa numas
disto disso daquilo
naquele naqueles naquela naquelas

 

Observe outros exemplos:

em + a = na

em + aquilo = naquilo

de + aquela = daquela

de + onde = donde

Atenção: as formas pelo, pela, pelos, pelas resultam da contração da antiga preposição per com os artigos definidos. Por exemplo:

per + o = pelo

Encontros Especiais

A contração da preposição com os artigos ou pronomes demonstrativos a, as ou com o “a” inicial dos pronomes aquele, aqueles, aquela, aquelas, aquilo resulta numa fusão de vogais a que se chama de crase – que deve ser assinalada na escrita pelo uso do acento grave. Por exemplo:

a + a = à

Exemplos: às – àquela – àquelas – àquele – àqueles – àquilo

Além disso, há diversas relações estabelecidas pelas preposições. Confira algumas:

Autoria – Esta música é de Martinho da Viola.

Assunto – Não gosto de falar sobre vestibular.

Causa – Estou tremendo de medo.

Companhia – Hoje vou sair com todos os estudantes

Conteúdo – Tomei um copo de (com) rum.

Destino ou direção – Olhe para a prova!

Especialidade – Ana formou-se em Jornalismo.

Fim ou finalidade – Eu vim para ficar na universidade.

Lugar – Estou no aeroporto.

Modo ou conformidade – Vamos escolher por sorteio.

Instrumento – Pedro feriu-se com a faca.

Matéria – Devolva-me meu material da prova.

Meio – Voltarei a andar a cavalo.

Posse – Este é o carro de Joana.

Oposição – O Inter jogou contra Grêmio.

Origem – Você descende de família nobre.

Preço – Vendemos a nossa apostila a (por) R$ 100,00.

Tempo – Eu viajei durante as aulas.

Esperamos que você tenha compreendido o valor das preposições e como elas servem para comunicação e escrita da língua portuguesa.

Assista também a aula sobre preposição do professor Noslen: 

Exercícios

Questão 01 – (Fac. São Francisco de Barreiras BA/2017)

FICO até com vergonha… Disponível em:<https://www.bing.com/images/search?q=tirinhas+de+humor+inteligente>.
Acesso em: 11 nov. 2016.

 

Quanto aos aspectos linguísticos presentes na tirinha, é correto afirmar:

a) A palavra “até” tem como função ligar um termo a outro.

b) As reticências depois da expressão “essas coisas” indicam a suspensão da fala por interrupção da pessoa com quem fala a pessonagem.

c) A interjeição “ráá” expressa, nesse caso, atendimento ao chamamento de alguém.

d) O vocábulo “ainda” apresenta-se com valor inclusivo.

e) O pronome “nos” complementa o sentido de “venceram”, aparecendo em posição proclítica pela presença da partícula negativa que antecede essa forma verbal.

 

Questão 02 – (FGV /2017)

Foi exatamente durante o almoço que se deu o fato.

Almira continuava a querer saber por que Alice viera atrasada e de olhos vermelhos. Abatida, Alice mal respondia. Almira comia com avidez e insistia com os olhos cheios de lágrimas.

– Sua gorda! disse Alice de repente, branca de raiva.

Você não pode me deixar em paz?!

Almira engasgou-se com a comida, quis falar, começou a gaguejar. Dos lábios macios de Alice haviam saído palavras que não conseguiam descer com a comida pela garganta de Almira G. de Almeida.

– Você é uma chata e uma intrometida, rebentou de novo Alice. Quer saber o que houve, não é? Pois vou lhe contar, sua chata: é que Zequinha foi embora para Porto Alegre e não vai mais voltar! Agora está contente, sua gorda?

Na verdade Almira parecia ter engordado mais nos últimos momentos, e com comida ainda parada na boca.

Foi então que Almira começou a despertar. E, como se fosse uma magra, pegou o garfo e enfiou-o no pescoço de

Alice. O restaurante, ao que se disse no jornal, levantou-se como uma só pessoa. Mas a gorda, mesmo depois de ter feito o gesto, continuou sentada olhando para o chão, sem ao menos olhar o sangue da outra.

Alice foi ao pronto-socorro, de onde saiu com curativos e os olhos ainda regalados de espanto. Almira foi presa em flagrante.

Na prisão, Almira comportou-se com delicadeza e alegria, talvez melancólica, mas alegria mesmo. Fazia graças para as companheiras. Finalmente tinha companheiras. Ficou encarregada da roupa suja, e dava-se muito bem com as guardiãs, que vez por outra lhe arranjavam uma barra de chocolate.

(Clarice Lispector. A Legião Estrangeira, 1964. Adaptado)

Assinale a alternativa em que a preposição “de” forma uma expressão indicativa de causa.

a) … por que Alice viera atrasada e de olhos vermelhos.

b)… e insistia com os olhos cheios de lágrimas.

c) – Sua gorda! disse Alice de repente, branca de raiva.

d) … pegou o garfo e enfiou-o no pescoço de

e) Mas a gorda, mesmo depois de ter feito o gesto…

 

Questão 03 – (UNESP SP/2016)

“ Caro filho. Como você está? Sua mãe e eu estamos bem. Sentimos saudades, esperamos que você esteja indo bem também. Estamos ansiosos para revê-lo na próxima vez que seu computador travar e você descer para comer alguma coisa. Com amor, sua mãe e seu pai.” (Randy Glasbergen. http://4.bp.blogspot.com. Acesso em: 18.04.2014)

Nas frases escritas a partir da charge, a preposição em destaque está corretamente empregada em:

a) Os pais recorrem nos e-mails para se comunicar com o filho.

b) Eles se resignam a encontrá-lo pessoalmente apenas quando o computador trava.

c) Os pais procuram ser carinhosos, mas são muito tolerantes do comportamento antissocial do filho.

d) Essa falta de proximidade entre pais e filhos é contrária com uma convivência saudável.

e) A charge nos leva a refletir sob a interferência negativa da tecnologia nas relações humanas.

 

1 Gab: E

2 Gab: C

3 Gab: B

Sobre o(a) autor(a):

Os textos e exemplos acima foram preparados pela professora Andressa da Costa Farias para o Blog do Enem. Andressa é formada em Letras Português e Literatura Brasileira pela Universidade Federal de Santa Maria. E atualmente cursa Doutorado em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina. Colabora eventualmente escrevendo crônicas para o jornal Diário de Santa Maria (RS) das quais posta no blog pessoal: www.andressacf.blogspot.com Facebook: https://www.facebook.com/andressa.dacostafarias