Espaço urbano brasileiro

A urbanização intensa do território brasileiro, iniciou-se junto ao processo de industrialização do país. Junto a este processo, temos o êxodo rural. Vamos entender melhor este processo?

O espaço urbano

A paisagem do espaço urbano é evidentemente diferente da paisagem do espaço rural. A paisagem do ambiente rural está geralmente associada à paisagem natural, aos campos, a agricultura. Já a paisagem urbana está associada à paisagem cultural, com aspectos culturais múltiplos, as características da modernização se misturando ao antigo, a mobilidade urbana, a tecnologia entre outros aspectos.

espaço urbano brasileiro (são paulo)
Figura 1: Vista aérea da cidade de São Paulo, metrópole brasileira.

 

Processo de urbanização brasileira

Junto ao processo de industrialização, no final do século XIX, temos o início da intensificação do trabalho industrial, que necessitava de mão de obra. Com o aumento da quantidade de indústrias, já no século XX, a quantidade de emprego nas cidades, que estavam cada vez mais se desenvolvendo, ia aumentando.

O aumento da quantidade de empregos nas cidades junto ao processo de mecanização da agricultura, causou o início do fenômeno conhecido como êxodo rural. Além destes fatores, os filhos das famílias que viviam no campo, passaram a querer ir para as cidades estudar e largar a vida no campo. Isso porque as cidades tornaram-se muito mais atrativas, não só pelos empregos, mas também pela grande quantidade de serviços.

Êxodo rural

O êxodo rural, consiste então, na migração das famílias do campo para o espaço urbano. Espaço este que estava em constante crescimento e com maiores oportunidades de trabalho em contraponto ao campo. Com este processo, na década de 60, o Brasil passa a possuir uma população majoritariamente concentrada nas áreas urbanas.

Hoje, o espaço urbano brasileiro conta com 80% da população concentrada nas cidades. Porém, a distribuição não é equilibrada, a maior parte da população está concentrada em grandes centros urbanos. O processo de êxodo rural foi responsável também pelo surgimento das metrópoles no Brasil como: São Paulo, Porto Alegre, Manaus, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e outras mais.

Desigualdades no processo de urbanização

Com o processo de metropolização, surgiu também a desigualdade entre cidades em relação ao desenvolvimento econômico e número populacional. Enquanto alguns estados como São Paulo e Rio de Janeiro apresentam altos índices populacionais por serem considerados mais desenvolvidos economicamente, outros como Acre e Roraima apresentam baixos índices demográficos.

A região sudeste é considerada a região com as maiores taxas de urbanização, por conta de estados como São Paulo. Nessa região 90% da população vive nas cidades. Diferente de estados do norte e do nordeste, como Pará e Maranhão, que são estados considerados menos urbanizados.

O motivo para desigualdade entre as regiões, se deve pelo histórico econômico de cada uma. A região sudeste apresenta um processo de urbanização muito mais intenso, por conta dos ciclos econômicos que moveram a economia do Brasil, como o ciclo do café. Na região sudeste temos a presença da megalópole São Paulo – Rio de Janeiro, composta pelas duas cidades globais brasileiras.

urbanização brasileira fortaleza
Figura 2: Fortaleza (CE), metrópole brasileira da região nordeste.

 

Espaço urbano brasileiro e problemas do processo de urbanização

Junto com o intenso processo de urbanização, é claro que surgiram grandes problemas que influenciam o espaço urbano brasileiro atual. Com a intensa migração do campo para as cidades, o que antes era o atrativo, passou a ficar em falta: as oportunidades de emprego.

Inicialmente o problema da falta de emprego era a grande quantidade de pessoas, que era maior que a demanda das indústrias e do comércio. Atualmente, temos a diminuição de empregos, entre muitos fatores, por conta também da exigência de mão de obra qualificada e pela mecanização de certas funções, como por exemplo, a mecanização de etapas do processo de produção industrial.

Além do problema do desemprego, há também a falta de moradia, muitas vezes ocasionada pela própria dificuldade de encontrar um emprego. A falta de moradia é a responsável pela origem das favelas nas margens dos grandes centros urbanos, como por exemplo o Rio de Janeiro, que possui imensos complexos de favelas.

Junto com a falta de moradia, há a falta de saneamento básico e de coleta de lixo, que acaba por facilitar a propagação de doenças entre a população brasileira. Geralmente a falta destes componentes básicos de um espaço urbano é a falta de controle dos governos sobre o crescimento intenso das cidades.

A questão do transporte urbano é também um grande problema. Tendo em vista que o transporte coletivo não é priorizado, tornando-se precário e levando as pessoas a adquirir um carro próprio, onde geralmente de cinco lugares, somente o do motorista é ocupado.

Atualmente, por conta da superlotação dos grandes centros urbanos, o processo de crescimento dos centros urbanos de médio porte vem sendo priorizado. Desta forma, o processo de desmetropolização das metrópoles saturadas passa a ocorrer por meio do aumento de investimentos nas cidades de médio porte, próximas a estas.

Lentamente, as cidades de médio porte vão se tornando lugares atrativos para se viver, por conta da concentração de serviços.

Para aprender mais sobre o espaço urbano e urbanização no Brasil, assista a nossa videoaula a seguir sobre urbanização, e resolva os exercícios abaixo!

Questões sobre o espaço urbano brasileiro

(FAMEMA SP/2018) A concentração fundiária, a mecanização do campo e a facilidade de acesso aos serviços sociais nas cidades brasileiras explicam

a) a desmetropolização.

b) o êxodo urbano.

c) a transição demográfica.

d) o êxodo rural.

e) a conurbação.

Gab: D

(FGV/2018) A mobilidade urbana envolve aspectos socioeconômicos relativos ao modo de vida nas cidades: o acesso aos meios de transporte para o trajeto casa-trabalho e aos serviços de saúde, educação, cultura e lazer. Na Região Metropolitana do Rio de Janeiro (RMRJ), a questão da mobilidade urbana é agravada pela forma de ocupação e organização do espaço.

exercicio de espaço urbano brasileiro

Sobre o problema da mobilidade urbana na RMRJ, com base no mapa, NÃO é correto afirmar:

a) A distribuição espacial dos equipamentos de saúde e de educação não atende às necessidades da população residente nos municípios periféricos, o que a obriga a grandes deslocamentos para obtê-los.

b) A concentração dos postos de trabalho nas áreas centrais exige que a população das regiões periféricas realize longos trajetos, que demandam tempo e parte significativa de sua renda.

c) O deslocamento das atividades produtivas para as áreas periféricas provoca o adensamento da mancha urbana, o que modifica o sentido dos fluxos de circulação intraurbanos.

d) O uso excessivo do transporte sobre rodas compromete a qualidade do ar, o que, somado ao estresse e ao ruído, atinge a saúde e a qualidade de vida da população.

e) O tempo gasto nos chamados movimentos pendulares deixa de ser convertido em aumento da produtividade, assim como os recursos consumidos no custo das passagens deixam de impulsionar o consumo.

Gab: C

(UFRGS/2018)

Observe a charge abaixo.

charge sobre espaço urbano brasileiro
Fonte: <http://www.marciobaraldi.com.br/baraldi2/component/joomgallery/?func=detail&id=178>. Acesso em: 18 set. 2017.

 

Assinale a alternativa que indica a correta relação, ilustrada pelos dois quadros.

a) O êxodo rural causou a redução dos empregos no campo, intensificou a urbanização do Brasil e gerou o crescimento desorganizado das cidades.

b) A mecanização das áreas rurais gerou desemprego no campo, mas propiciou melhores ofertas de trabalho e condições de vida nas áreas urbanas.

c) Os latifúndios contribuíram para uma melhor distribuição das terras nas áreas rurais, redistribuindo a população nas áreas urbanas.

d) As cidades atraíram os trabalhadores rurais que optaram por oportunidades de trabalho mais vantajosas.

e) A política agrária modernizou o trabalho no campo, concentrou a posse da terra e gerou, em condições precárias, o êxodo rural dos migrantes para as cidades.

Gab: E

 

 

Sobre o(a) autor(a):

Este texto foi elaborado pelo geógrafo e professor de Geografia Marcelo de Araújo para o Curso Enem Gratuito. Marcelo é formado em Geografia (licenciatura) pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Atualmente trabalha como autônomo. https://www.facebook.com/mdearaujo22